Chuva causa estragos em nove cidades gaúchas

Já tornou-se rotina. Pela quarta vez no ano, a chuva deixou um rastro de destruição no Rio Grande do Sul. Desta vez, 17 pontos de estradas foram interditados no estado, por conta de quedas de barreiras e alagamentos. Até hoje à tarde, nove municípios haviam decretado estado de emergência: Soledade, Tio Hugo, Tapera, Getúlio Vargas, Camargo, Casca, Serafina Corrêa, Paim Filho e Lajeado.A região do planalto foi uma das mais afetadas. Equipes da Defesa Civil dirigem-se às cidades para realizar vistorias e depois enviar agasalhos, alimentos e material de construção. Em Soledade, duas mil famílias foram afetadas e 220 casas ficaram danificadas pelo granizo, que atingiu o município ontem e hoje, deixando centenas de desabrigados. Em Tio Hugo, 130 residências foram danificadas e 510 pessoas estão desalojadas. Em Getúlio Vargas, 50 casas foram destelhadas e há pelo menos 120 desalojados. Em Tapera, 600 residências foram atingidas e 24 famílias desabrigadas. A Emater, órgão governamental de assistência aos agricultores, calcula entre 10% e 15% as perdas nas lavouras de trigo e cevada na região do planalto.Os técnicos do governo também estão trabalhando em rodovias atingidas. A situação mais crítica ocorre na RST-470, onde uma encosta ameaça cair, próxima ao Rio das Antas. A estimativa é que a recuperação das estradas custará pelo menos R$ 1,2 milhão.Em Santa Catarina já foram registradas quatro mortes devido às chuvas. A última ocorrência foi a de um homem eletrocutado em Xanxerê, no oeste do estado. Duas pessoas também foram soterradas, uma em São José e outra em Brusque, e uma mulher foi arrastada pelo correnteza em Rio do Sul.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.