Chuva causa estragos em Santa Catarina

A prefeita de Florianópolis, Angela Amin (PPB), decretou situação de emergência no município, em função do caos provocado pelas fortes chuvas registradas no domingo, de 0h30 até as 14h, e que voltaram a preocupar na tarde desta segunda-feira. Além da capital catarinense, Palhoça e São Bonifácio, na Grande Florianópolis, também estão em situação de emergência, assim como as cidades de Grão Pará e Armazém, no Sul do Estado.Urubici, no Planalto Serrano, está em estado de calamidade pública, com todas as áreas agrícolas submersas e pelo menos 12 pontes comprometidas.Mais chuva previstaOs prejuízos causados pela chuva no Estado ainda não foram avaliados pela Defesa Civil. Até o final da tarde desta segunda, a prefeita da capital teria em mãos um relatório para saber quais as ações emergenciais necessárias e quais dependerão de projetos.Só no domingo, o volume de chuva na cidade chegou a 270 mm em 24 horas, quando o normal são 180 mm em todo o mês de fevereiro. A meteorologia prevê mais chuva para esta terça-feira no Estado.Moradores e comerciantes passaram a segunda-feira limpando casas e estabelecimentos. As prefeituras das regiões atingidas e a Defesa Civil do Estado estão com todo o contingente nas ruas.Trânsito complicadoEsta segunda-feira foi um dia de trânsito complicado nessas cidades. A Via Expressa (BR-282), em Florianópolis, só foi liberada parcialmente no sentido Ilha-Continente no período da tarde.Dirigir em qualquer bairro da cidade foi complicado. Em Urubici o tráfego foi interrompido na SC-439 (Serra do Corvo Branco), onde houve queda de barreira, e um riacho abriu uma cratera de 30 metros de profundidade.O km 143 da mesma rodovia, em Braço do Norte, encontra-se interditado por causa da queda da cabeceira de uma ponte.Já o km 86 da SC-431, em Armazém, ficou interditado por causa da água na pista. A ponte que dá acesso a Grão Pará permite passagem só para pedestres.Motoristas que trafegarem pela SC-438, que corta a Serra do Rio do Rastro, devem ter atenção redobrada, porque o trânsito está em meia pista no km 135.Vários locais públicos foram inundados e tiveram que ficar com as portas fechadas nesta segunda-feira. Ainda não há previsão de quando o prédio do Instituto Nacionaldo Seguro Social (INSS) do continente, na capital, abrirá ao público. A Companhia de Águas e Saneamento do Estado (Casan) está pedindo que todos economizem água na Grande Florianópolis, porque os filtros dos reservatórios não dão conta de limpar a sujeira que desce dos rios.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.