Chuva causa mortes no interior de SP e no RS

Um homem morreu atingido por um raio, na região de Bauru, onde acidentes deixaram um ferido grave; outro, perto de Araçatuba, feriu 20

O Estadao de S.Paulo

31 Outubro 2008 | 00h00

Fortes chuvas e rajadas de vento deixaram um rastro de destruição no interior de São Paulo, no Paraná e no Rio Grande do Sul e provocaram acidentes com feridos e quatro mortos. O mau tempo danificou casas em várias cidades paulistas e também nos Estados do Sul. Famílias ficaram desalojadas. Houve corte na distribuição de energia e no abastecimento de água. Em Bernardino de Campos, região de Bauru, o pedreiro Marcelo Sanchez, de 28 anos, morreu no fim da tarde de anteontem, depois de receber a descarga de um raio, quando trabalhava em cima de uma casa. Horas depois, um acidente na Rodovia Assis Chateaubriand, em Santópolis do Aguapeí, região de Araçatuba, deixou 20 feridos. O motorista do ônibus perdeu o controle, por causa da pista molhada, e o veículo caiu na ribanceira. Um passageiro ficou em estado grave. Em Bauru, a chuva deixou a cidade sem luz até a madrugada de ontem. A Defesa Civil distribuiu lonas para 17 famílias que tiveram casas destelhadas. Em estradas da região, ocorreram dois acidentes com caminhões, com um ferido grave. Na região de São José do Rio Preto, ontem foi dia de recuperar os estragos. Em Ibirá, 30 árvores foram arrancadas e ao menos 150 casas desabaram. "Vamos pedir ajuda do Estado. Isso vai dar prejuízo de mais de R$ 100 mil", disse o prefeito Francisco Carvalho. Em Valinhos, região de Campinas, 36 famílias tiveram de deixar o Condomínio Atlântico, na noite de anteontem, por causa do desmoronamento de um muro de arrimo na divisa com a obra de construção de um shopping. Cinco carros caíram de uma altura de 15 metros. Ninguém ficou ferido. Americana, Amparo, Araras, Campinas, Limeira e Santa Bárbara D?Oeste foram prejudicadas com destelhamentos, quedas de árvore e alagamentos. Não houve registro de vítimas. No sudoeste de Campinas, o índice de chuva chegou a 53 milímetros. "O parâmetro que usamos é de 15 milímetros como moderado. Mais de 40 milímetros é chuva forte", diz Sidnei Furtado, da Defesa Civil. REGIÃO SUL A morte de Faustino Ortiz, de 17 anos, ontem em São Borja, na fronteira oeste do Rio Grande do Sul, foi a terceira no Estado causada pelas chuvas. Ele pescava no Rio Uruguai e caminhava por uma área alagada quando caiu em um buraco provocado pela enchente e morreu afogado. No fim da tarde de anteontem, bombeiros de Santa Cruz do Sul e Vera Cruz localizaram os corpos dos agricultores Romeu Radke, de 60 anos, e Baltazar Rachor, de 62, levados por uma enxurrada. Dois dias de mau tempo no Paraná danificaram 800 casas e duas ficaram destruídas em Loanda, noroeste do Estado. Cerca de 2,7 mil pessoas de 33 municípios foram afetadas. Técnicos da Companhia Paranaense de Energia (Copel) trabalhavam durante o dia de ontem para restabelecer as ligações para mais de 240 mil domicílios. TATIANA FÁVARO, EVANDRO FADEL, CHICO SIQUEIRA e CARLOS ALBERTO FRUET

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.