Chuva causa R$ 1 bi de prejuízo

Avaliação foi feita por governadores do Nordeste; 35 pessoas morreram nos alagamentos

, O Estadao de S.Paulo

09 de maio de 2009 | 00h00

A chuva que atinge o Nordeste já causou um prejuízo de R$ 1 bilhão, segundo informações preliminares repassadas pelos Estados ao ministro da Integração Nacional, Geddel Vieira Lima, durante o 10° Fórum de Governadores do Nordeste. Pelo menos 35 pessoas morreram por causa das enchentes na Região. Com a chegada do mês de maio, cresce a expectativa pelo término das chuvas. Conforme dados da Defesa Civil do Maranhão, há 182 mil atingidos em todo o Estado e faltam abrigos. Em São Luís, alguns produtos, como o tomate e a cenoura, registravam ontem até 100% de aumento no preço e há o temor de que comecem a faltar legumes e verduras na cidade a partir de segunda-feira. No Ceará, subiu para 73 o número de municípios atingidos, 23 em situação de emergência. Na Bahia, o sétimo dia seguido de chuvas na Região Metropolitana de Salvador voltou a causar inundações e transtornos.O ministro Geddel disse que vai apresentar os números dos governadores ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva e adiantou que o governo deverá propor uma nova medida provisória para destinar mais recursos para os municípios nordestinos atingidos. Mas não falou em valores. "É impossível dizer qual o montante, se eu não tenho um levantamento completo por parte dos Estados e municípios atingidos. E por uma razão óbvia: eles não têm como fazer esse levantamento em função das águas. Precisamos aguardar que baixem as águas para que se possa fazer o diagnóstico dos custos", afirmou.Durante o encontro com governadores do Nordeste, Geddel foi questionado sobre a demora na liberação de recursos para atender populações atingidas por chuvas ou secas extremas. No Rio Grande do Norte, por exemplo, a governadora Wilma de Faria relatou que o Estado só recebeu na semana passada o repasse autorizado para socorrer municípios atingidos por enchentes ainda em 2008. "Posso afirmar que desta vez o repasse será mais rápido", rebateu o titular da Integração Nacional. O ministro disse ainda que o governo federal reduziu a exigência de documentos para acesso aos recursos e está articulando medidas com órgãos de controle para acelerar a liberação do dinheiro nesses casos. Nesta semana, porém, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva ressaltou que só poderá ocorrer a liberação de recursos caso os governos apresentem projetos detalhados.ESTRADASMas, nem tudo são notícias ruins. Depois de duas semanas, a BR-316 (Belém-Brasília), principal ligação entre o Norte e o Nordeste, interditada no km 415, foi liberada para o tráfego parcial de veículos. No momento da liberação da rodovia, uma fila de 10 km de carros e caminhões formou-se. Apesar disso, o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) alerta que a estrutura montada no local é frágil e se voltar a chover a rodovia poderá ficar novamente interditada.Já no Sul do País a estiagem já levou um terço das prefeituras do Rio Grande do Sul a decretarem situação de emergência. Mas ontem o tempo mudou e voltou a chover no Estado. ELDER OGLIARI, TIAGO DÉCIMO e WILSON LIMA, ESPECIAL PARA O ESTADO, COM AGÊNCIA BRASILNÚMEROS 73 cidades do Ceará foram atingidas 182 milsão afetados no Maranhão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.