Chuva deixa 3 mortos e pelo menos 2 desaparecidos em MG

Entre 18 e 23 horas, precipitação alcançou 100 mm; em casa, menina de 3 anos foi arrastada pela água

Eduardo Kattah, BELO HORIZONTE, O Estadao de S.Paulo

02 de janeiro de 2009 | 00h00

Um temporal que atingiu a Região Metropolitana de Belo Horizonte, na noite do réveillon, deixou um rastro de destruição e mortes. Três pessoas, incluindo uma criança de 3 anos, morreram afogadas ao serem arrastadas pelas águas do Rio Arrudas. Pelo menos duas outras vítimas estão desaparecidas. Acompanhada de raios e ventos fortes, a tempestade causou muitos estragos. Carros foram arrastados, ruas e casas foram inundadas. O volume de água no período compreendido entre 18 e 23 horas foi estimado pelo instituto MG Tempo em 100 milímetros.Os corpos das três vítimas foram encontrados durante a madrugada, nas proximidades da Avenida Tereza Cristina, cortada pelo Arrudas, e no limite com a cidade de Contagem. A menina Bianca Gabriela Antunes, de 3 anos, foi arrastada quando as águas invadiram sua residência. Parentes disseram que ela escapou dos braços da mãe e foi levada pela correnteza, mas havia a suspeita de que a garota estivesse sozinha na casa. O corpo de Bianca foi encontrado no Bairro Santa Margarida. No Gameleira, os bombeiros localizaram o corpo de Maria das Graças Ribeiro, de 51 anos, que foi arrastada pela correnteza. Ela era uma dos ocupantes de um automóvel Palio que também foi levado pela força da enxurrada. Outras duas pessoas que estavam no veículo, incluindo uma filha da vítima, foram salvas por moradores. A terceira vítima, Ronaldo Emílio Vieira, de 51 anos, foi arrastado pelas águas quando preparava a ceia de ano-novo para a família. Até o início da noite, um rapaz permanecia desaparecido. Ele teria sido levado pelas águas do Arrudas, no bairro Vera Cruz. Familiares reclamaram também o desaparecimento de Maria do Rosário Ferreira. A mulher estava com a filha de 9 anos e tentava atravessar a Avenida Tereza Cristina, quando foi levada pelas águas. A criança foi salva por um taxista.A Coordenadoria Municipal de Defesa Civil (Comdec) estimou que pelo menos 50 residências foram inundadas e 50 veículos ficaram danificados ou destruídos. Moradores fizeram uma manifestação, cobrando ajuda das autoridades.OBRANo dia em que tomou posse, o novo prefeito de Belo Horizonte, Márcio Lacerda (PSB), percorreu as regiões mais atingidas e prometeu examinar a obra de canalização do Arrudas para dar mais escoamento às águas da chuva. Ele criticou a obra feita 15 anos atrás e hoje considerada insuficiente para evitar tragédias.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.