Chuva em Minas deixa 53 municípios em situação de emergência

De acordo com a Defesa Civil do Estado, 13 pessoas morreram, 290 ficaram feridas, 5.992 estão desabrigadas

Fabiana Marchezi, do estadao.com.br

24 de dezembro de 2008 | 15h01

Subiu de 53 o número de municípios em situação de emergência no Estado de Minas Gerais por conta das chuvas, segundo último balanço divulgado pela Defesa Civil do Estado, na manhã desta quarta-feira, 24. Ao todo, 91 cidades foram afetadas pelas chuvas.  Veja também:Tudo sobre as vítimas das chuvas    De acordo com o órgão, 13 pessoas morreram, 290 ficaram feridas, 5.992 estão desabrigadas e outras 56.668 desalojadas, ou seja, estão hospedadas em casa de amigos e parentes. No total, mais de 280 mil moradores foram afetados de alguma forma.  Rio No Rio, as chuvas que atingiram o Rio de Janeiro nas últimas semanas já deixaram 54.775 pessoas desalojadas e 11.794 desabrigados, até terça-feira, 23, segundo dados da Defesa Civil do Estado.  Há um caso confirmado de óbito de um homem levado pela força da correnteza ao atravessar um riacho, no Distrito de Outeiro, em Cardoso Moreira, o único município que decretou estado de calamidade pública, tendo 10 dos 12 mil da população total prejudicada. Em Santo Antônio de Pádua, um levantamento constatou situação crítica na Secretaria de Saúde municipal, onde foram perdidos ambulâncias, carros, equipamentos, máquinas, laboratórios de análise de larvas do mosquito da dengue, medicamentos, vacinas e dados armazenados em sistemas de informação. Doze municípios continuam em situação de emergência: Campos dos Goytacazes, Cambuci, Itaocara, São João da Barra, Aperibé, Itaperuna, Italva, Laje do Muriaé, Porciúncula, Natividade, São Jesus de Itabapoana e Santo Antônio de Pádua. Santa Catarina Em Santa Catarina, o número de desalojados chega a 32.853. Os desabrigados somam 5.617 e as mortes registradas até agora são 133. Segundo boletim da Defesa Civil, o número de pessoas desaparecidas em razão das chuvas no Estado caiu para apenas oito. De acordo com o diretor do departamento, major Márcio Luiz Alves, o número caiu devido à identificação de corpos no município de Ilhota. "Sabíamos que esse número mudaria, pois muitos corpos foram encontrados nos últimos dias. Hoje tivemos a confirmação oficial", explica.  Ainda há duas pessoas desaparecidas em Gaspar e seis em Ilhota, onde as buscas continuam sendo realizadas por equipes do Corpo de Bombeiros Militar.  

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.