Chuva forte e vento trazem caos ao Rio

A Lagoa Rodrigo de Freitas voltou a transbordar na madrugada deontem, depois que uma tempestade atingiu a região metropolitana. O vento forte, que chegou a 90 quilômetros por hora, alagou ruas e derrubou árvores, provocando a falta de luz em alguns bairros, e causou a interdição da Ponte Rio-Niterói por cerca de 40 minutos.No Jardim Botânico foi registrado índice pluviométrico de 70 milímetros. O nível de água da Lagoa Rodrigo de Freitas, que já havia transbordado no início do mês por causa de fortes chuvas que duraram dois dias, havia retornado ao normal na tarde de segunda-feira. Mas o nível da água voltou a subir com as chuvas da madrugada. As pistas das Avenida Espitácio Pessoa e Borges de Medeiros, em torno da Lagoa, ficaram completamente alagadas e vários carros enguiçaram e foram abandonadospelos motoristas. A chuva, que durou cerca de uma hora, provocou mais estragos na zona sul. Uma árvore caiu sobre os fios de alta tensão na Rua General Glicério, em Laranjeiras, e deixou moradores sem luz. A situação considerada mais grave pela Light, concessionária de energia do Rio, ocorreu no Jardim Pernambuco, condomínio de luxo no Leblon. Uma árvore caiu sobre a rede elétrica, derrubando postes. Até o meio-dia a luz não havia sido restabelecida. Entre a madrugada e as 10 horas de hoje, a Light recebeu 11 mil ligações com reclamações. A Defesa Civil do município recebeu 45 chamadas. Uma mangueira centenária caiu sobre duas casa na Estrada dos Bandeirantes, em Jacarepaguá. A árvore atingiu a fiação elétrica e provocou o desabamento parcial de uma das residências. Em Pedra de Guaratiba, o vento levou as telhas de uma casa e havia o risco de desmoronamento. Equipes da Defesa Civil tiveram de escorar o imóvel. Em São Gonçalo, a Defesa Civil registrou 30 ocorrências. Parte da cidade ficou sem telefone, porque uma central da Telemar foi afetada pela tempestade.O diretor do Instituto Nacional de Meteorologia, Luiz Carlos Austim, informou que a chuva foi provocada por uma frente fria que veio do Sul e se concentrou sobre o oceano. Segundo Austim, há risco de novas tempestades com fortes rajadas de vento até o fim da semana.

Agencia Estado,

19 de novembro de 2002 | 15h54

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.