Haroldo Abrantes/Governo da Bahia
Haroldo Abrantes/Governo da Bahia

Chuva forte mata 16 pessoas em Lajedinho, na Bahia

Entre a noite de sábado e a madrugada de domingo choveu o equivalente a dois meses

Heliana Frazão, Especial para o Estado

09 Dezembro 2013 | 18h13

Lajedinho (BA) - Olhando de cima, a cidade de Lajedinho, localizada na Chapada Diamantina, a cerca de 350 quilômetros de Salvador (BA), parece um monte de entulho. O cenário desolador foi provocado por uma tromba d´água que atingiu o município na noite de sábado (7), provocando ao menos 16 mortes, vários feridos, centenas de desabrigados - e uma criança ainda estaria desaparecida.

A enxurrada inundou tudo, destruiu mais de 70 casas e arrastou carros. Além disso, árvores e postes caíram, deixando a cidade sem energia elétrica.

Somente nesta segunda-feira (9), foram encontrados seis corpos, conforme a Defesa Civil, numa região distante da cidade. Eles teriam sido levados pela correnteza do Rio Saracura, que transbordou.

A população tenta se refazer do susto, contabiliza os prejuízos e chora os seus mortos. O município de Lajedinho é um dos menores da Bahia, com pouco mais de quatro mil habitantes. A precipitação devastadora pegou todos de surpresa, visto que há anos não chovia forte na região - o local enfrentava problemas de seca.

O prefeito Antonio Mario Lima (PSD) decretou estado de emergência e luto oficial por três dias, a partir desta segunda-feira (9). Entre o fim da noite de sábado (7) e o início da madrugada de domingo (8) choveu 120 milímetros no local, o que equivaleria a mais dois meses de precipitação, conforme informações da Superintendência da Defesa Civil do Estado (Sudec).

"A estiagem prolongada deixou o solo impermeável, bloqueou a entrada da chuva e a água escorreu pelos vales, atingindo a cidade em cheio", afirma o prefeito. Ele diz não saber o que fazer em relação à documentação da prefeitura, completamente perdida, pois a água invadiu o prédio do Executivo municipal.

O prefeito informou ainda que, entre as ações emergenciais, serão construídas 200 casas na parte alta da cidade, longe da área de alcance do Rio Saracura.

As vítimas estão sendo abrigadas em casas de parentes, conhecidos ou em escolas da região, enquanto aguardam por doações. Várias famílias perderam tudo o que possuíam, e comércio da cidade também foi fortemente afetado.

Na tarde desta segunda-feira (9), o governador Jaques Wagner (PT) foi a Lajedinho para ver de perto a situação. O vice-governador Otto Alencar (PSD) também esteve no município para avaliar a dimensão dos prejuízos.

Foi aberta uma conta bancária, administrada por uma comissão formada por integrantes da sociedade civil e do Ministério Público Estadual, para recolher doações para as vítimas. Os depósitos podem ser feitos na conta corrente 40000-9 (Banco do Brasil, agência 0595-9).

Mais conteúdo sobre:
ClimaLajedinhoBahia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.