Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Chuva interdita rodovia e causa inundação em Sorocaba

Duas horas de chuva forte foram suficientes para deixar sobas águas, na manhã desta terça-feira, a zona ribeirinha de Sorocaba, a 92 quilômetros de São Paulo. O rio Sorocaba, que corta a cidade, saiu do leito e inundou a Avenida Dom Aguirre, principal acesso às rodovias Senador José Ermírio de Moraes (Castelinho) e Castelo Branco. Carros, ônibus e até caminhões foram arrastados pela correnteza. Pessoas desesperadas saíram dos veículos a nado. O aguaceiro também fez brotar um rio sobre a pista da Rodovia Raposo Tavares, entre Sorocaba e Mairinque. Caminhões e carros formaram uma fila de seis quilômetros para esperar a liberação da estrada, interditada durante cinco horas. A chuva mais forte começou por volta das 4 da manhã e se manteve intensa até as 6 horas. Segundo o coordenador municipal da Defesa Civil, Júlio Leme, houve picos com a intensidade de uma tromba d´água.As águas do rio Sorocaba subiram rapidamente e inundaram a Avenida Dom Aguirre. Motoristas tiveram de abandonar os carros. A dona de casa Maísa Alves de Queiroz Camargo, estava contornando a praça Lions quando a água atingiu o motor do seu Fiat Uno. O carro parou, mas as águas continuavam subindo. Ela saiu do veículo com água pela cintura e pediu ajuda aos bombeiros. "Eles disseram que não tinham obrigação deresgatar carros". Motoristas ajudaram a amarrar em um poste, com uma corda, um automóvel Monza que era levado pela correnteza. Um ônibus da Viação São Jorge enguiçou no meio da água. Os passageiros tiveram dificuldade para chegar à terra firme. Os ônibus que seguiam para São Paulo tiveram de parar e muitos passageiros desistiram da viagem. O fotógrafo do Estado, Epitácio Pessoa, estava em um deles. "Tive de entrar na água para fazer as fotos e ajudar algumas pessoas." A avenida ficou interditada durante 2 horas e meia. O trânsito ficou caótico em toda a região central. Houve alagamentos também nos bairros Pinheiros e Jardim Piratininga.Na Raposo Tavares, a enchente do Córrego Varjão cobriu a pista nos quilômetros 68, 69 e 71, próximo de Mairinque. Segundo o policial rodoviário Sildenir Faria Leite, o nível da água chegou a um metro sobre o asfalto. O supervisor de controle de qualidade Vagner Ribeiro, de Sorocaba, que seguia de carro com dois colegas para o trabalho em Mairinque, contou que às 5h30 a rodovia já estava alagada. "Não conseguimos passar." Às 10h30, a pista foi liberada parcialmente, mas só passavam caminhões. "Vamos ter de esperar mais um pouco", queixava-se. O motorista Ricardo Vargas, que levava uma carga de madeira para Cotia, aproveitou para seguir viagem. Às 14 horas, aconcessionária Viaoeste, que administra o trecho, informou que otrânsito na rodovia tinha voltado ao normal. Os bairros Vila Paraíso, em Alumínio, Horto Florestal, em Mairinque, e Jardim Iguaçu, em São Roque, tiveram casas inundadas.

Agencia Estado,

12 de novembro de 2002 | 15h32

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.