Chuva mata mais duas pessoas em Minas Gerais

Estado registra agora 10 mortos pelos temporais; cerca de 100 cidades declararam emergência

Marcelo Portela, O Estado de S.Paulo

06 Janeiro 2012 | 23h00

BELO HORIZONTE - Duas pessoas morreram ontem em Governador Valadares, Minas Gerais, em decorrência das chuvas. Nilson Jânio Andrade, de 43 anos, e Marlene Pinheiro da Silva, de 37, foram soterrados depois que um muro de arrimo desabou sobre a casa do casal durante um temporal na madrugada. Além deles, também estavam na residência uma criança de 11 anos e uma adolescente de 16, resgatadas com escoriações. Com o casal, chega a 10 o número de vítimas dos temporais.

De acordo com os bombeiros, a chuva provocou o deslizamento de terra de uma encosta de cerca de 30 metros, que atingiu também outras casas vizinhas, no pé da encosta. As outras famílias foram retiradas do local. Vários bairros da região estão inundados e cerca de 215 pessoas já foram retiradas de suas casas até a noite de ontem pelos bombeiros, que tiveram de usar barcos e jet skis.

Segundo a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec), também são investigadas no Estado as mortes de Flávio Adão da Silva, de 24 anos, ocorrida no dia 2 em União de Minas, no Triângulo Mineiro; de Edmar João Vila, de 23, e de Diego Tuler Vila, de 28, ocorridas, respectivamente, em Guaraciaba e Ponte Nova, ambas na Zona da Mata mineira. Ao menos uma pessoa continua desaparecida em Santo Antônio do Rio Abaixo, na região metropolitana de Belo Horizonte.

Alimentos. O governo mineiro e municípios do Estado mais castigados pela chuva vão receber o Cartão de Pagamento da Defesa Civil, para custear despesas de cerca de R$ 25 milhões com alimentos e combustível para assistência às vítimas dos temporais. Foi o que prometeu ontem o ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra, após reunião com o governador Antonio Anastasia (PSDB). O ministro dos Transportes, Paulo Sérgio Passos, que também participou do encontro, afirmou que a pasta investirá pelo menos R$ 100 milhões em obras emergenciais para recuperar as rodovias federais que cortam Minas e foram destruídas pelas águas, por deslizamentos de terra ou por quedas de barreiras.

O cartão foi usado pela primeira vez em Santa Catarina. "As despesas de custeio serão pagas com o cartão", afirmou Bezerra.

Dos 109 municípios do Estado que estavam em situação de emergência, 81 integram lista para receber recursos do Ministério da Integração Nacional.

Alerta. Ao mesmo tempo que planeja a recuperação dos estragos, o governo de Minas voltou a ficar em alerta e pôs a Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros de prontidão por causa da previsão de novos temporais a partir de hoje até terça-feira. Isso porque, mesmo com a redução do volume de chuva em algumas regiões nos últimos três dias, a previsão é novos temporais justamente na Zona da Mata mineira e nas regiões central e leste do Estado, as mais castigadas nos últimos dias.

Mais conteúdo sobre:
chuvas em MG

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.