Chuva mata pelo menos 20 pessoas e desaloja 15 mil em Santa Catarina

Quatro municípios estão totalmente isolados; outros Estados do Sul e Sudeste também tiveram problemas

Júlio Castro, Florianópolis, O Estadao de S.Paulo

24 de novembro de 2008 | 00h00

Pelo menos 20 pessoas morreram nas últimas horas em Santa Catarina por causa da forte chuva que cai principalmente sobre o litoral e o Vale do Rio Itajaí-Açu, no norte do Estado. Até as 23h de ontem, havia registro de 15.605 desalojados e desabrigados, 1,5 milhão de pessoas afetadas e pelo menos quatro municípios - Rio dos Cedros, Pomerode, Itapoá e Benedito Novo - isolados por queda de barreiras e pontes. Algumas cidades ainda sofriam com falta de água potável e mais de 250 mil pessoas estavam sem energia elétrica - 150 mil só em Blumenau, uma das cidades mais afetadas pelas inundações.Após decretar situação de emergência, o governador catarinense Luiz Henrique da Silveira (PMDB) telefonou no início da tarde de ontem ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva solicitando ajuda logística para resgatar pessoas isoladas. Até o início da noite, oito helicópteros e quatro aviões já estavam em operação nas regiões mais atingidas pelas chuvas.O governador também ligou para o ministro da Integração Nacional, Geddel Vieira Lima, que enviou o secretário Nacional de Defesa Civil, Roberto Costa Guimarães, e pediu ajuda a Estados vizinhos. Do Rio Grande do Sul serão enviados 10 mil colchões e 10 mil cobertores e travesseiros, além de kits de limpeza. Já o Paraná enviou 139 policiais, bombeiros e agentes da Defesa Civil. A Aeronáutica também está com efetivo em alerta para transportar doações de cestas básicas e material de higiene e limpeza."Algumas áreas de terra do Estado se comportam como um grande sorvete derretendo", comparou o governador, referindo-se aos deslizamentos constantes das encostas. Na Grande Florianópolis, um deles interditou totalmente a BR-101, no km 235. Única ligação litorânea com o Sul do Brasil, a estrada deverá ficar fechada pelo menos até terça-feira para limpeza da pista. Em Gaspar, Vale do Rio Itajaí-Açu, deslizamento na BR-470 provocou rompimento de um gasoduto, com explosão e incêndio de uma casa.DESASTREEm Itajaí, onde milhares de pessoas estão desabrigadas, no fim da tarde de ontem um grupo de mil pessoas, acomodadas no segundo piso de um colégio, foi retirado às pressas quando as águas começaram a tomar o prédio. De acordo com o prefeito, Volnei Morastoni, havia risco de a situação se agravar pela alta da maré em 80 centímetros. "Estamos nos preparando para o pior desastre dos últimos anos."Em Blumenau, onde oito mortes haviam sido confirmadas ontem, o rio que corta a cidade - o mesmo que deságua em Itajaí - superou a marca dos 10,9 metros e transbordou em vários pontos. Pelo menos 173 ruas ficaram alagadas e o desespero tomou a população.Florianópolis não teve mortos pela chuva, mas a Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) cancelou a prova de vestibular e, por causa da interdição da SC-401, que dá acesso ao norte da ilha, a prefeitura decretou ponto facultativo e aulas na rede pública municipal e estadual foram suspensas.Outros Estados também tiveram problemas. No Paraná, a Defesa Civil calculava 200 desabrigados na tarde de ontem. Em Guaratuba, houve queda de barreira no km 684 da BR-376, com soterramento de imóvel e uma vítima não confirmada. Em Vitória e Vila Velha, no Espírito Santo, deslizamentos e alagamentos deixaram dezenas de famílias desabrigadas. Em Serra, região metropolitana de Vitória, dois homens morreram afogados na Lagoa Juara. Eles pescavam quando foram surpreendidos pelo forte temporal. Ao tentarem voltar para a margem, desequilibraram-se e o barco virou.Não foram os únicos afogamentos. Em São Paulo, o estudante Carlos Alexandre da Silva, de 13 anos, morreu afogado na manhã de ontem, após tentar pegar uma bola que havia caído no piscinão Maria Sampaio, na região do Capão Redondo, zona sul. Um vigia do local chegou a jogar uma corda, que não foi alcançada pelo menino. Em seguida, amarrou-se para tentar resgatá-lo, mas o garoto, que fazia aniversário ontem, já estava submerso. Em Santos, um garoto de 8 anos morreu afogado na Praia do José Menino. Seu irmão, de 14, estava desaparecido até o início da noite. E a vizinha dos dois, Jessiane de Souza, também de 8 anos, foi resgatada e internada. COLABORARAM JULIO CESAR LIMA, ALEXANDRE RODRIGUES, FELIPE ODA E REJANE LIMA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.