Chuva não altera situação de reservatórios em Sorocaba

A chuva de hoje foi escassa e trouxe pouco alívio para a situação dos reservatórios usados para abastecimento na região de Sorocaba. Em Itu, o racionamento pode ser ampliado até o fim da semana. Os 150 mil moradores, que estão ficando sem água 6 horas por dia, podem ter suspenso o fornecimento por um período maior.Segundo o prefeito Lázaro Piunti (sem partido), o rodízio foi adotado por causa da falta de produtos químicos para tratar a água e essa escassez está se agravando. A Câmara não aprovou o repasse de R$ 4,8 milhões para a autarquia. Ele reconheceu que o nível de alguns reservatórios, principalmente a represa do Itaim, é crítico. O manancial, que estava com menos de 30% da capacidade, não se alterou com as chuvas. Em Porto Feliz, as chuvas atingiram as cabeceiras do rio Avecuia e melhoraram um pouco o nível do manancial que abastece a população, segundo o diretor técnico do Serviço Autônomo de Água e Esgotos (SAAE), José Roberto Maria. Mas a cidade continua em estado de alerta por causa da estiagem.É esperado um índice 30% menor de chuvas este mês. Em Sorocaba, representantes da Secretaria do Meio Ambiente do Estado, prefeituras da região e sociedade civil discutiram ontem a formação de um conselho gestor para a transformação da represa de Itupararanga em Área de Proteção Ambiental (APA). O manancial, com 26 quilômetros de calha e 160 km de margens, abastece 63% da população regional e está com 7 metros abaixo do nível máximo. Alguns bairros de Sorocaba e Votorantim, principais cidades abastecidas pela represa, já sofrem com a falta de água. O conselho vai definir normas para o uso do solo no entorno da represa para garantir a preservação da qualidade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.