Chuva provoca calamidade pública no extremo oeste de SP

As chuvas de janeiro trouxeram prejuízos ao extremo oeste paulista. Os municípios mais castigados são Presidente Prudente e Álvares Machado. Ambos estão em estado decalamidade pública. Os maiores problemas em Prudente são de erosão em viasurbanas. Em Machado, grande parte dos 600 quilômetros de estradas rurais sofreramdanos, e duas vicinais estão interrompidas, prejudicando o transporte da produçãorural.O prefeito prudentino, Agripino Lima (PTB), estima os prejuízos em R$ 2 milhões, o que representa mais de 20% da arrecadação mensal e quase metade da folha de pagamento dos servidores municipais, enquanto seu colega de Álvares Machado, Luiz Antonio Lustre (PTB), fala em R$ 300 mil, para um município que arrecada R$ 750 milpor mês e paga somente de salários R$ 400 mil. Ambos esperam a ajuda do governador Geraldo Alckmin (PSDB).Membros da Defesa Civil já estiveram avaliando os estragos nesta quarta-feira em Prudente e, nesta quinta-feira, constatam in loco os problemas em Machado. Nos últimos oito dias, as chuvas atingiram 207 milímetros. O índice de precipitação pluviométrica acumulado do mês éde 388 milímetros, até esta quarta-feira. É o segundo maior índice dos últimos dez anos, sendoque, em janeiro de 1994, choveu mais de 400 milímetros.

Agencia Estado,

29 de janeiro de 2003 | 17h46

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.