Chuva volta a deixar desabrigados no Rio

A chuva forte que caiu sobre o Rio no fim da tarde dequarta-feira provocou o desabamento de duas casas e a destruiçãoparcial de outras quatro no Morro do Escondidinho, no Rio Comprido, zona norte, bairro mais atingido. Outras 20 casas foram interditadas. Ninguém se feriu, mas cerca de 70 pessoas ficaram desalojadas.De acordo com o coronel Evandro Sarno, da Defesa Civil municipal, as habitações ficam em área de risco e podem desabar se voltar a chover forte. ?As pessoas foram avisadas de que o local não é seguro, mas a decisão de sair é delas?, informou. No resto da cidade, houve alguns pontos de alagamento, porém sem ocorrências graves.TeresópolisO município de Teresópolis, na Região Serrana, enfrentoumais chuva ontem, o que provocou a queda de barreiras na estrada que liga a cidade ao Rio. O trânsito ficou restrito à meia pista naaltura do município de Guapimirim. Teresópolis está em estado de alerta desde o último dia 21, quando um temporal deixou 15 mortos, 14 deles no Morro do Perpétuo. Equipes da Defesa Civil percorrem a cidade para realizar vistorias, embora as últimas chuvas não tenham causado grandes danos. Em 48 horas, houve 12 chamadas, mas nenhuma delas com registrosde vítimas fatais, desaparecidos ou desalojados. A cidade, no entanto, ainda contabiliza os prejuízos com as trombasd?água que caíram no dia 21. No bairro de Santa Cecília, a terradeslizou de uma encosta e derrubou 3 postes de luz. O local está semenergia desde então e os moradores tiveram que abandonar suas casas. Em todo o município, são 180 desalojados, instalados no abrigo municipal e numa igreja. De acordo com a Defesa Civil, a chuva que caiu sobre Teresópolis até esta quinta-feira (650 mm) corresponde ao dobro da previsão para o mês de dezembro.JacaréAlém de lama e sujeira, a chuva trouxe um jacaré, que surpreendeu os moradores de Duque de Caxias, Baixada Fluminense. Oanimal foi encontrado ontem de manhã, em um campo de futebol alagado, no bairro Jardim Gramacho. Segundo os bombeiros, ele mede 1,5 metro e passa bem. O jacaré, ainda sem nome, aguardava a remoção para um parque no Recreio dos Bandeirantes, zona oeste. Segundo os bombeiros que o capturaram, o zoológico do Rio alegou que não poderia ficar com o animal por já possuir jacarés em ?excesso?.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.