Chuvas ameaçam estátua do Padre Cícero em Juazeiro

A estátua de Padre Cícero, com 25 metros de altura, que fica em Juazeiro do Norte, a 540 quilômetros de Fortaleza, está sob ameaça de cair. As chuvas que banham a cidade desde o mês passado contribuem para aumentar a erosão na estrada de acesso ao monumento. As crateras no solo já estão a cerca de 10 metros do pedestal da estátua, localizada no alto da Colina do Horto.Para dar encaminhamento as obras de revitalização, o muro de proteção da estátua foi destruído, mas os trabalhos estão paralisados há 16 meses. O secretário de Infra-estrutura do município, Francisco Tadeu Coelho Bezerra, informou que o canteiro realmente está abandonado.De acordo com ele, trata-se de uma obra iniciada pela administração municipal anterior, em parceria com o governo cearense. "Estamos conversando com o governo estadual para retomar os serviços, pois a estátua é o nosso cartão postal mais importante", disse Bezerra. Esta tarde ele foi ao Horto fazer uma análise técnica da situação.Numa entrevista a uma emissora de rádio local, padre José Venturelli, da Ordem Salesiana, que administra a área, admitiu a possibilidade de o monumento desabar. Ele disse que a estátua está cheia de rachaduras. Ocupando uma área de 10 metros quadrados, pesa 500 toneladas e foi inaugurada no dia 1º de novembro de 1969. Tem 17 metros de altura, com outros 8 metros do pedestal. Foi esculpida pelo artista Armando Lacerda. E é visitada diariamente por milhares de romeiros.Os acessos ao Museu Vivo de Padre Cícero, que também fica no Horto, e à estátua estão em ruínas. Mesmo assim, o fluxo de visitantes é intenso. O fotógrafo Antonio da Silva, de 34 anos, diz ter testemunhado alguns acidentes envolvendo romeiros. Salimar Nogueira, de 46 anos, natural de Tucuruí (PA), lamentou e disse ter ficado entristecido "pela falta de cuidados". Padre Cícero foi o fundador de Juazeiro do Norte, e é venerado como santo pelo povo nordestino.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.