Chuvas causam 12 mortos no Rio de Janeiro desde o réveillon

As chuvas que atingem o Rio desde a virada do ano já deixaram pelo menos 12 mortos no Estado. Em Petrópolis, na Região Serrana, deslizamentos mataram três pessoas na manhã desta quinta-feira -entre as vítimas, dois irmãos de 6 e 7 anos. No início da noite desta quinta, uma mulher e seus cinco filhos ficaram soterrados, quando a casa da família desabou, em Nova Friburgo. Três irmãos, de 7, 8 e 10 anos morreram. A mãe e dois filhos foram retirados com vida. Os bombeiros também retiraram o corpo de um homem dos escombros.Em Teresópolis, também na região serrana, um casal morreu no desabamento de um bar em Alto Vieira. Em Sumidouro, cidade vizinha, pai e filho morreram presos no carro, atingido por uma barreira. Na quarta-feira, um pedreiro foi soterrado pelos escombros da sua casa em Queimados, na Baixada Fluminense, e também morreu. Situação de emergênciaA chuva intensa fez com que pelo menos dois municípios decretassem estado de emergência, São Fidélis, no norte fluminense, e Nova Friburgo, na Região Serrana. O coordenador da Defesa Civil de Friburgo, coronel Sérgio Marrafa, disse que em 48 horas foram registrados 280 chamados de socorro, 90% dos casos referentes a deslizamentos de terra. Há 70 pessoas desalojadas (perderam suas casas temporariamente por risco de desabamento ou inundação) e 20 desabrigados, cujas casas ficaram destruídas.Em São Fidélis, 600 pessoas ficaram desalojadas por causa do temporal. O Rio Paraíba do Sul, que corta o município, está 5,5 metros acima do nível normal. Em Macaé, também no Norte Fluminense, duas casas desabaram no Bairro Novo Horizonte. Vôos com destino às plataformas de petróleo foram suspensos por causa do mau tempo. Em todo o Estado, há pelo menos três mil pessoas desalojadas ou desabrigadas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.