Corpo de Bombeiros
Corpo de Bombeiros

Chuvas deixam 2 mortos e 5 desaparecidos em Minas Gerais

Uma idosa teve a casa inundada em Ribeirão das Neves, e um menino de 6 anos caiu em um bueiro após ser arrastado pela enxurrada no bairro de Perdizes

Leonardo Augusto, especial para o Estado

04 Dezembro 2017 | 19h36
Atualizado 05 Dezembro 2017 | 01h14

BELO HORIZONTE - As fortes chuvas que caem sobre Minas Gerais desde o fim de semana provocaram a morte de uma mulher de 80 anos e de um menino de 6 anos. Outras cinco pessoas, pelo menos, estão desaparecidas no Estado. Desde o início da temporada de chuvas, em outubro, a Defesa Civil registrou a morte de cinco pessoas, três delas em outubro.

Na tarde deste sábado, 2, um menino de 6 anos foi arrastado pela enxurrada e caiu em um bueiro em Perdizes, no Alto Paranaíba. Segundo testemunhas, o menino brincava com outra criança às margens da rodovia MG-462, perto de uma vala por onde corria a água da chuva, quando foi levado pela correnteza. Ele foi encontrado já sem vida a 300 metros do local onde caiu. O corpo foi encaminhado à Santa Casa de Misericórdia de Perdizes e removido ao IML de Araxá para exame de necropsia.

Em Ribeirão das Neves, na região metropolitana de Belo Horizonte, uma idosa morreu por afogamento ao ter a casa inundada na noite deste domingo, 3. A mulher, ainda não identificada e conhecida apenas por Joanita, tinha problemas de saúde e não conseguiu sair do imóvel. Ela foi encontrada também já sem vida dentro da casa pela equipe do Corpo de Bombeiros e do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

+++ Em quatro anos, secas e inundações afetam 55,7 milhões de brasileiros

Desaparecidos. Em Urucânia, na Zona da Mata, duas mulheres e duas crianças estão desaparecidas desde a manhã desta segunda-feira, 4. Segundo a prefeitura da cidade e o Corpo de Bombeiros, as quatro vítimas foram levadas pela enxurrada. Os bombeiros também fazem busca por um homem que desapareceu na noite deste domingo, 3, em Vespasiano, na região metropolitana da capital mineira.

+++ Nordeste enfrenta maior seca em 100 anos

Segundo um parente da vítima, que pediu o socorro, o homem, ao perceber que o vertedouro da lagoa do Morro Alto estava cheio, foi até o local na tentativa de apanhar alguns peixes. Ele teria se desiquilibrado e caído.

+++ 39 cidades dos Nordeste vivem duas tragédias: seca e chuva

Cenário. O temporal provocou estragos na Rodovia MG-108, que corta o município de Lajinha. Uma cratera se abriu no local e bloqueou a via totalmente. Segundo a Defesa Civil, nas útlimas 24 horas, as chuvas provocaram inundações, alagamentos, deslizamento de terra, queda de muro e árvores. O órgão estadual registrou 108 ocorrências nesse período, sendo que a de maior gravidade foi a queda parcial de uma residência localizada no bairro Minas Caixa, onde três pessoas sofreram ferimentos leves.

Em Rio Casca, na Zona da Mata, uma ponte caiu na área central do município, onde o nível das águas chegou a, aproximadamente, 2 metros de altura. Toda a área comercial foi atingida pela força das águas. Em alguns bairros houve corte de energia, bem como o acesso à internet foi interrompido.

Desde o início do período chuvoso em Minas Gerais, em outubro, a Defesa Civil registrou a morte de cinco pessoas, contando com as duas mais recentes. Em Belo Horizonte, o taxista Fábio Teixeira Magestes, de 37 anos, morreu depois que uma árvore caiu sobre o carro em que ele estava. Já na zona rural de Uberaba, 14 pessoas que trabalhavam em uma plantação de cenouras foram atingidas por uma descarga atmosférica. Laurinete Ribeiro da Silva, de 41 anos, e José Everaldo Da Silva, de 36, morreram no local.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.