Chuvas deixam 450 pessoas desalojadas em Sorocaba

Pelo menos 450 pessoas tinham sido desalojadas pelas chuvas até a tarde desta segunda em Sorocaba, a 92 km de São Paulo. A maioria foi removida de casas tomadas pelas águas ou localizadas em áreas de risco. A Defesa Civil interditou 120 moradias em seis bairros por causa da ameaça de desabamento. Os moradores foram transferidos para casas de parentes ou abrigos municipais. Os agentes foram autorizados a requisitar força policial para retirar as famílias. Segundo o coordenador Roberto Montegomery, não foi necessária a ação da polícia.O abrigo principal, com capacidade para 300 pessoas, foi montado na Escola Estadual Marlene Devasto, na zona norte da cidade. A prefeitura distribuiu 150 colchões, mais cobertores e cestas básicas, a moradores que tiveram as casas alagadas. Na manhã desta segunda, 36 casas estavam inundadas no Parque São Bento II por causa da cheia no Rio Sorocaba. Outras áreas ribeirinhas estavam alagadas. Moradias esvaziadasNo Parque das Laranjeiras, 67 moradias tiveram de ser esvaziadas. No Recreio dos Bandeirantes, o alicerce de dois blocos de um conjunto de prédios construídos pela Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU) cedeu. As paredes sofreram rachaduras. O local, habitado por moradores transferidos de áreas de risco, foi inspecionado por engenheiros da Defesa Civil, mas até a tarde de ontem não tinha sido interditado. Em cinco dias, choveu mais de 200 milímetros na cidade, quase o total de chuvas do mês. Em Tatuí, as águas do Rio Sorocaba alegaram chácaras e residências no Distrito de Americana. Pelo menos 10 famílias tinham deixado as casas até a tarde de ontem. Em Pereiras, a enchente no Ribeirão das Conchas mantém isoladas áreas rurais. Na madrugada de ontem, o rio cobriu a Rodovia Marechal Rondon (SP-300), entre Pereiras e Conchas, mas ainda de manhã as águas baixaram e o trânsito foi restabelecido. Em Paraguaçu Paulista, no oeste do Estado, as chuvas provocaram o rompimento de um vertedouro na barragem da represa do Balneário Paraguaçu, inundando casas e ruas. A estação de tratamento de água foi afetada, deixando 40 mil habitantes sem abastecimento. Cerca de 60 famílias foram removidas para abrigos da prefeitura. A rodovia Raposo Tavares (SP-270) foi interditada nos dois sentidos, no km 485, devido à cheia do ribeirão São Mateus. Assim que as águas baixaram, a pista foi liberada. Na rodovia Prefeito Jorge Bassil Dower (SP-421), as cabeceiras de uma ponte cederam isolando a cidade de Borá. O trânsito está sendo desviado. Em Maracaí, também há 60 desabrigados em razão das cheias nos rios Capivara e do Cervo. A estação de tratamento de água foi inundada, paralisando o abastecimento.

Agencia Estado,

08 de janeiro de 2007 | 20h30

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.