Chuvas deixam 63 mil pessoas desabrigadas no País

Cerca de 63 mil pessoas foram obrigadas a deixar suas casas este ano devido às inundações decorrentes das fortes chuvas que ainda atingem quase todo o país. A informação é do Ministério da Saúde, que também contabiliza outros problemas vividos pela população afetada, como a incidência de várias doenças, principalmente as provocadas por alimentos e águas contaminadas, além da leptospirose, mal transmitido pela urina do rato que geralmente ocorre 20 dias após o final das enchentes.Para minimizar os efeitos dos temporais sobre as populações mais pobres, o Ministério da Saúde começou a enviar hoje duastoneladas de medicamentos para 338 cidades de 15 estados atingidos pelas chuvas, segundo informações da Agência Brasil. "Nós já começamos a enviar os ´kits´ defarmácia bá sica, e até sábado a distribuição estará concluída", disse Humberto Costa. Ele recomenda que as pessoas fiquemalertas para evitar o consumo de águas e alimentos contaminados. "É preciso cobrar das autoridades federais e locais quegarantam abastecimento de água potável e alimentos não contaminados".Humberto Costa fez um apelo às secretarias estaduais e municipais de Saúde para que façam um levantamento detalhado dosestoques de remédios usados no combate de doenças como tuberculose, hanseníase, malária e diabetes que tenham sidoperdidos por causa das inundações. A intenção do governo federal é repor imediatamente esses medicamentos para evitardescontinuidade no tratamento dessas doenças. O Ministério da Saúde também autorizou as secretarias de Saúde a contratarserviços de internação hospitalar, caso eles venham a enfrentar alguma epidemia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.