Chuvas deixam 65 mortos e 44 mil desabrigados em SC

Situação é crítica no Estado, que tem mais de 137 mil pessoas sem energia elétrica nesta segunda-feira

da Redação, estadao.com.br

24 de novembro de 2008 | 15h55

Pelo menos 65 pessoas morreram por conta das chuvas que atingiram Santa Catarina nos últimos dias. Em todo o Estado são 44.151 mil desabrigadas ou desalojadas. Ilhota é a cidade com o maior número de mortos: são 15. Em Blumenau, uma das cidades mais atingidas, 13 pessoas morreram. O número de munícipios isolados subiu para oito nesta segunda-feira, 24. Estão sem contato com outros locais por conta de queda de barreiras ou de pontes os municípios de São Bonifácio, Luiz Alves, São João Batista, Rio dos Cedros, Garuva, Pomerode, Itapoa e Benedito Novo.  Os dados são da Defesa Civil de Santa Catarina. Segundo as Centrais Elétricas de Santa Catarina - Celesc, 137 mil estão sem energia elétrica.   Veja também:SP enviará 2 helicópteros para auxiliar a Defesa Civil de SCChuvas suspendem prazos judiciais em SC até quinta-feiraEstudo já mostrava como evitar problemas de enchentes em SC Condições em SC fazem Correios interromperem serviçosChuva deve continuar até 4ª; situação é crítica Chuva interdita estradas federais em Santa CatarinaChuvas interrompem abastecimento de gás em parte de SCBlog é criado para ajudar moradores afetados em BlumenauVeja galeria de fotos dos estragos em SC  No Estado, 14.511 pessoas estão desabrigadas e os desalojados chegam a 28.543. Os desabrigados são pessoas que tiveram que sair de suas casas e precisam da ajuda do Estado. Já os desalojados são pessoas que foram obrigadas a sair de suas casas por conta dos danos das chuvas, mas que podem ir para casas de parentes ou amigos. Segundo a Defesa Civil, 1,5 milhão de pessoas foram afetadas, que são todas aquelas que tiveram sua vida alterada de alguma maneira, seja porque o ônibus não podia passar ou porque o telefone não funciona, por exemplo. O abastecimento de gás foi interrompido do município de Guaramirim até Rio Grande do Sul, devido a ruptura de tubo de gás entre Luiz Alves e Blumenau, segundo a TBG Gás. Em Jaraguá do Sul já são 12 mortos. Na cidade de Gaspar o número de vítimas de subiu para dez. As cidades de Rodeio e Luiz Alves tiveram quatro vítimas cada. Nos municípios de Rancho Queimados e Benedito Novo morreram duas pessoas cada. As cidades de Brusque, Pomerode e Bom Jardim da Serra tiveram uma vítima cada.  Em Blumenau, a prefeitura decretou estado de calamidade pública e vai ficar fechada nesta segunda-feira. As autoridades do município, onde há possibilidade de novos deslizamentos e desmoronamentos, recomendam que as pessoas não saiam de casa. Segundo o diretor Telmo Duarte, vários pontos, nos bairros, estão em situação de risco. "Mesmo com a diminuição da intensidade das chuvas e o nível do rio diminuído, a terra está muito encharcada e continua oferecendo riscos", avisou Duarte, aconselhando as pessoas a levarem consigo apenas objetos pessoas, colchão e alguma roupa para facilitar a mobilização. As escolas públicas e particulares no município permanecem sem aulas até que a situação se normalize na cidade. Além disso, as cidades de Camboriú, Gaspar, Novo Trento e Rio dos Cedros também decretaram estado de calamidade. Já os municípios de Balneário de Piçarras, Canelinha, Indaial, Penha, Paulo Lopes, Presidente Getúlio e Rancho Queimado estão em situação de emergência. (Com Júlio Castro, de O Estado de S.Paulo) Texto alterado à 0h27 para acréscimo de informações.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.