Chuvas deixam 65 mortos e cerca de 44 mil desabrigados em SC

Ilhota é a cidade com o maior número de mortos, 15; chuvas continuam até quarta-feira, segundo meteorologia

da Redação - estadao.com.br,

25 de novembro de 2008 | 03h57

As fortes chuvas que atingem o Estado de Santa Catarina já deixaram pelo menos 65 mortos nos últimos dias. Em todo o Estado, são 52 mil desabrigadas ou desalojadas. Ilhota é a cidade com o maior número de mortos: são 15. Em Blumenau, uma das cidades mais atingidas, 13 pessoas morreram. Segundo a Defesa Civil estadual de Santa Catarina, por volta do meio dia desta terça-feira, a chuva já havia dado uma trégua em praticamente todo o estado. Chovia apenas no litoral, mas os índices pluviométricos não passavam de 1 milímetro por hora, o que é considerada uma chuva de pequena intensidade. Os índices mais preocupantes são aqueles que passam dos 10 milímetros por hora.   Veja também: Tragédia em Santa Catarina 'Em menos de 1 minuto, eu perdi as duas', diz pai SP enviará 2 helicópteros para auxiliar a Defesa Civil de SC Chuvas suspendem prazos judiciais em SC até quinta-feira Estudo já mostrava como evitar problemas de enchentes em SC Condições em SC fazem Correios interromperem serviços Chuva deve continuar até 4ª; situação é crítica  Chuva interdita estradas federais em Santa Catarina Chuvas interrompem abastecimento de gás em parte de SC Blog é criado para ajudar moradores afetados em Blumenau Veja galeria de fotos dos estragos em SC      A chuva deve continuar nesta terça-feira, perdendo força somente na quarta-feira à tarde. "O mau tempo é resultado de uma frente estacionária na Bahia e no Espírito Santo, brecada por uma massa de ar quente do Nordeste que não deixa o sistema de alta pressão evoluir para o oceano, mantendo as chuvas em Santa Catarina", diz Marcelo Martins, do Centro de Informações de Recursos Ambientais e de Hidrometeorologia.   Segundo a Defesa Civil, 1,5 milhão de pessoas foram afetadas, que são todas aquelas que tiveram sua vida alterada de alguma maneira, seja porque o ônibus não podia passar ou porque o telefone não funciona, por exemplo.   O abastecimento de gás foi interrompido do município de Guaramirim até Rio Grande do Sul, devido a ruptura de tubo de gás entre Luiz Alves e Blumenau, segundo a TBG Gás.   Em Blumenau, a prefeitura decretou estado de calamidade pública. As autoridades do município, onde há possibilidade de novos deslizamentos e desmoronamentos, recomendam que as pessoas não saiam de casa.    

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.