Chuvas deixam mais de 4 mil desabrigados no RN

Mais de 4 mil pessoas estão desabrigadas por causa das fortes chuvas que castigam o Rio Grande do Norte nos últimos dias. Os municípios de Nova Cruz e São José de Campestre, na região Agreste do Estado, já tiveram o estado de calamidade pública reconhecido pelo governo estadual. Outros 13 podem entrar na lista. Só em São José de Campestre, choveu em 12 dias de janeiro 366mm. Pelo menos, oito casas foram destruídas pela enchente, provocada pelo rio Jacu, que corta a cidade.A coordenação da Defesa Civil-RN, reconhece que o órgão não tem estrutura para atender ao caos provocado pelas enchentes.?Até 15 dias atrás estávamos tratando da possibilidade de decretação de Estado de Emergência contra a Seca em váriosmunicípios, entre eles os mais atingidos pelas chuvas?, lembra o coordenador do órgão, Paulo de Tarso.Em Macaíba, na área metropolitana de Natal, foram distribuídos 100 colchões para famílias desabrigadas. Em Serra Caiada, acerca de 60 quilômetros da capital, 300 pessoas tiveram de sair de casa porque a água invadiu suas residências.?Aconselhamos os prefeitos que têm casos, em suas cidades, de casas destruídas e ruas intransitáveis que decretem o Estadode Emergência, no âmbito municipal, porque o governo do Estado vai ajudar?, salienta o prefeito de Parnamirim, Agnelo Alves(PSB), presidente da Federação dos Municípios doRio Grande do Norte (Femurn). Ele acha que não faltaram medidas preventivaspara evitar os estragos das enchentes. ?Ninguém podia prever o quanto choveu nas últimas 48 horas?, acrescenta preocupadocom a possibilidade que ás águas possam destruir vários açudes. Em Tangará, a (0 quilômetros de Natal, dois açudes estãoprestes a transbordar e a população teme estragos de grandes proporções.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.