Chuvas desabrigam 20 mil e deixam três mortos no Maranhão

Na cidade de Presidente Dutra há 2.300 pessoas sem casa; 15 municípios decretaram estado de emergência

Wilson Lima, de O Estado de S.Paulo,

02 Abril 2008 | 15h32

Aproximadamente 20 mil pessoas estão desabrigadas em todo o Maranhão em função das fortes chuvas que castigam o Estado desde o último domingo, 30, conforme dados da Defesa Civil Estadual. Quinze municípios já decretaram estado de emergência e três pessoas morreram após deslizamentos de terra.O maior número de desabrigados está na cidade de Presidente Dutra, a 350 km de São Luís: 2.300.   Em Gonçalves Dias, no sudoeste do Maranhão, um açude rompeu e atingiu 763 moradores. Na segunda maior cidade do Maranhão, Imperatriz, o rio Tocantins, que corta a cidade, transbordou e cerca de 700 pessoas ficaram desalojadas.   Em Paço do Lumiar, na região metropolitana de São Luís, as fortes chuvas destruíram parcialmente uma ponte na rodovia MA-203, que dá acesso à cidade. As chuvas também foram responsáveis pela interdição da BR-010, no quilômetro 321, no sudoeste do Estado, em decorrência de uma cratera que se formou no local.   Em Lagoa Grande, na região central do Estado, três pessoas morreram soterradas na queda de uma barreira no povoado Deserto, na madrugada de terça-feira: Maria da Silva Siebra, de 21 anos e seus dois irmãos, um de 5 anos e o outro com menos de um ano. Os nomes das crianças não foram divulgados.   Segundo informações da Defesa Civil Estadual também existem pessoas desabrigadas nas cidades de Arame, Pedreiras, Boa Vista do Gurupi, Buriti Bravo, Lago da Pedra, Davinópolis, Raposa, São José de Ribamar e na capital São Luís.

Mais conteúdo sobre:
desabrigados Defesa Civil

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.