Governo do Espírito Santo
Governo do Espírito Santo

AO VIVO

Acompanhe notícias do coronavírus em tempo real

Duas crianças morrem soterradas no ES; nº de mortos pelas chuvas chega a nove

Meninos de 11 e 10 anos tiveram casas atingidas nas cidades de Conceição do Castelo e Iúna; 12 municípios estão em estado de alerta

Vinícius Rangel, especial para o Estado

25 de janeiro de 2020 | 14h38
Atualizado 25 de janeiro de 2020 | 21h52

VITÓRIA - Duas crianças morreram soterradas na madrugada deste sábado, 25, no Espírito Santo. Segundo o último relatório divulgado pela Defesa Civil, subiu para nove o número de mortos no Estado em decorrência das fortes chuvas que atingem a região nas últimas semanas. Os rios invadiram cidades. Ruas e estradas foram ocupadas pela enxurrada de água e lama que devastaram várias áreas.

A cidade que mais choveu nas últimas 24 horas foi Muniz Freire, com 145.20 milímetros de água. Houve um deslizamento de terra e uma pessoa ficou soterrada. Ela foi resgatada com vida pelo Corpo de Bombeiros. Na cidade de Castelo, choveu 111.02 milímetros, que foram suficientes para deixar a cidade submersa. Da rodoviária do município, só era possível enxergar o telhado.

De acordo com o relatório do governo, 15 casas foram danificadas. Escolas, creches, hospital e as unidades de saúde ficaram alagadas. O abastecimento de água foi interrompido. A captação realizada no Rio Caxixe está assoreada. Uma pessoa segue desaparecida. Outros 4.724 capixabas estão desalojados e 199, desabrigados. 

A universitária Mariely Frasson, de 27 anos, disse que a chuva começou durante a tarde de sexta-feira, 24. “Começou fraca e rapidamente ela aumentou. Nós começamos a ficar assustados com a força da água. Só vimos ela aumentando e entramos em desespero. Não deu tempo de tirar nada de casa. Só conseguimos buscar abrigo. Vimos nossos vizinhos gritando, pedindo socorro. Não tinha como a gente sair do lugar. Ficamos no terraço e, até lá, a chuva chegou. Era muita água. Nunca vi isso."

Em Iúna, duas residências desabaram, quatro pessoas ficaram feridas. No distrito de Córrego Santa Clara, uma criança foi encontrada morta dentro dentro de casa. Otávio Braz Pereira, de 10 anos, veio a óbito após um deslizamento de terra. A casa onde ele estava foi atingida. Os bombeiros e a Defesa Civil foram acionados, mas o acesso ao local dificultou o socorro. 

Em Conceição do Castelo, uma criança de 11 anos também morreu. A vítima foi identificada como Lucas Almeida Zucon. O prefeito da Cidade, Christiano Spadetto, contou que o menino morreu na madrugada deste sábado, enquanto estava dormindo no quarto. O local foi atingido pela enxurrada de água e lama. “A família estava dormindo e só perceberam de manhã. Eles não ouviram nenhum barulho e, quando foram ver a criança, ela já estava em óbito”, disse o gestor municipal.

Em Cachoeiro do Itapemirim, cidade vizinha, o problema maior foi o rio do município, de nome homônimo. Com as fortes chuvas nos municípios vizinhos, o curso d'água chegou a mais de seis metros acima do normal. Com a força da água, a cabeceira da ponte foi destruída. Ruas e avenidas ficaram alagadas. “Eu moro aqui há quase dez anos e nunca vi esse cenário devastador. O rio está levando a cidade aos poucos. Já subimos alguns móveis e retiramos o que conseguimos do primeiro andar. Tem loja que não deu tempo de tirar nada. Está todo mundo assustado. O rio está dentro da minha casa”, disse a servidora pública Greyci Armani.

“O nosso Estado continua sofrendo com as fortes chuvas. Nesse fim de semana, aumentou o número de mortos e desalojados. Recebemos notícias de que ainda existe uma barragem em Alegre, que pode romper a qualquer momento e atingir a região. As famílias do entorno já foram retiradas. Há ainda uma previsão de mais chuva e estamos em alerta. Os níveis dos rios de várias regiões estão aumentando. Tem áreas que nós ainda não conseguimos chegar, o acesso está muito difícil. Com isso, acreditamos que o número de mortos e desaparecidos pode aumentar”, informou o comandante do Corpo de Bombeiros, tenente-coronel Wagner Borges.

A cidade de Iconha, o município que mais foi devastado pela chuva, contou com apoio de cerca de 800 pessoas que promoveram um mutirão de limpeza. O comércio, unidades de saúde, hospital e casas receberam limpeza com apoio de diversos órgãos municipais e estaduais. O Exército se instalou na cidade e também ajudou com doação de donativos para os desalojados e desabrigados da região. 

Durante ação no município, o governador Renato Casagrande (PSB) anunciou que o Ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, vai sobrevoar as áreas afetadas neste domingo, 26. No fim do dia, haverá uma reunião na sede do governo para apresentar um relatório da destituição no Estado e discutir medidas emergenciais. 

Rio Doce 

No fim da tarde deste sábado, 25, a estação de Governador Valadares, em Minas Gerais, atingiu a cota de alerta e é esperado que se atinja também a cota de inundação neste domingo, 26. O modelo hidrológico aponta que as cheias atingirão o município de Baixo Guandu, cerca de 20 horas após Governador Valadares, Colatina, em 30 horas, e Linhares, em 42 horas. A recomendação é que moradores residentes nas áreas com risco de inundações sejam retirados.

Veja o vídeo:

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.