Chuvas devastam Estados de Alagoas, Sergipe e Bahia

As cheias do Rio São Francisco causadas pelas chuvas fizeram o número de mortos aumentar para dez, em Sergipe. Neste sábado, o governador do Estado, João Alves Filho, PFL, está em Porto da Folha, reunido com o prefeito Júlio Santana, para avaliar a gravidade da situação do município. A Ilha de São Pedro, onde vivem mais 60 famílias de índios Xocós, foi inundada pelas águas do São Francisco.Os estragos na agricultura são grandes. As chuvas aumentaram o nível dorio Jacaré, em Telha, fazendo os produtores perderem 1.600 toneladas de arroz, o equivalente a R$ 1 milhão. Outros 150 lotes, no perímetro irrigadoCotinguiba-Pindoba, está ameaçado. Em Maceió, as chuvas voltaram na madrugada deste sábado, deixando várias ruas alagadas, provocando quedas de barreiras ealagando praticamente todo o mercado público da capital alagoana. A Defesa Civil está em alerta máximo. Moradores da periferia e das favelas às margens da Lagoa Mundaú estão sendo orientados a desocupar seus barracos. Na Grota do Cigano, uma casa desabou, deixando três pessoas feridas. A prefeitura está disponibilizando escolas e ginásios de esportes para acolher os desabrigados. No interior do Estado, a situação é crítica em todos os municípios do Médioe Baixo São Francisco, atingidos por inundações, porcausa da abertura ontem das comportas de hidrelétricas do Sistema Chesf. Nove cidades alagoanas estão sofrendoinundações: Piranhas, Pão de Açúcar, Belo Monte, São Brás, Porto Real do Colégio, Igreja Nova, Penedo e Piaçabuçú. A Defesa Civil estima que 45 mil pessoas estejam em situação de risco. No norte da Bahia, as chuvas provocaram o sangramento de açudes e pequenos reservatórios entre as cidades de Juazeiro e Paulo Afonso. O volume de água aumentou tanto que obrigou a Chesf a aumentar a vazão da usina de Luiz Gonzaga, uma das maiores da região. A vazão saltou de 4,5 mil metros cúbicos por segundo para 6,5 mil por segundo, com previsão de atingir os 7 mil. Desde 1979 a vazão não aumenta tanto. Chegou a 13,5 mil metros cúbicos há 24 anos. A água liberada pela usina vai para o lago de Xingó, situado entre Alagoas e Sergipe. Na Chapada Diamantina, a cidade de Mirangaba está emestado de emergência. No povocado de Taquarandi, uma planície habitada por 300 agricultores, toda a produção orgânica de hortifrutigranjeiros foi perdida. As pequenas propriedades foram arrastadas pela enxurrada do Rio Preto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.