Chuvas e tornados voltam a causar destruição em SC

Tempestades atingem mais o sul e a serra; em Itajaí, mãe e filho morrem numa enxurrada

Júlio Castro, O Estadao de S.Paulo

10 de março de 2009 | 00h00

Duas pessoas morreram e 467 ficaram desabrigadas e desalojadas, em decorrência da forte chuva que caiu no domingo e na madrugada de segunda-feira em Santa Catarina. Ainda no fim da tarde de ontem, um temporal, com queda de granizo, atingiu o município de Bocaina do Sul, deixando pelo menos cem pessoas desalojadas. No domingo, outro temporal atingiu pelo menos 15 municípios com registro de vários estragos. Conforme a Defesa Civil catarinense, houve o registro de dois tornados.Florianópolis, Brusque, Criciúma, Balneário Camboriú e Ponte Alta acionaram a Defesa Civil Estadual e oficializaram a ocorrência de danos provocados pelo mau tempo no período. A serra e o extremo sul do Estado, menos atingidos nas enchentes de novembro, receberam a maior precipitação.Em Itajaí, foram confirmadas duas mortes na tarde de segunda-feira. Bernadete Búrigo, de 34 anos, e o filho Matheus Thomas, de 7, passavam de carro por uma ponte no bairro Brilhante 2, quando foram arrastados por uma enxurrada, agravada pelo rompimento de uma barragem. O motorista do carro, que não teve o nome divulgado pela Defesa Civil, conseguiu escapar.Ainda no domingo, duas ocorrências de tornado foram registradas nos municípios de Ponte Alta, na serra catarinense, onde cerca de 500 residências foram parcialmente destruídas. No extremo sul do Estado, as cidades de Turvo, Ermo, Timbé do Sul, Morro Grande e Meleiro foram afetadas por outro vendaval. Cerca de 40 mil pessoas ficaram sem energia elétrica por aproximadamente 30 minutos. O tornado destruiu lavouras de milho e derrubou pelo menos 30 postes da rede de distribuição elétrica.Ainda em Ponte Alta, 56 leitos do hospital municipal foram atingidos pela chuva. Seis pacientes que estavam internados foram liberados, por causa do risco que corriam dentro do hospital. Quedas de árvores sobre a pista da BR-470 interditaram a rodovia por cerca de uma hora.Em Balneário Camboriú, no litoral norte, o Hospital Santa Inês foi totalmente interditado na noite de domingo. Barro e pedras deslizaram de uma encosta nos fundos da unidade, invadindo o prédio. Muitos pacientes foram transferidos para outras unidades de saúde da região, por ordem médica, por causa do risco de novos deslizamentos e contaminação. A previsão, segundo a estação meteorológica da Epagri/Ciram é de ocorrência de mais chuva hoje e amanhã.O diretor Estadual da Defesa Civil, Márcio Luiz Alves, lamentou as mortes ocorridas em Itajaí, afirmando que elas poderiam ser evitadas. "Em hipótese nenhuma, as pessoas devem transitar em locais alagados", afirmou, referindo-se ao acidente, quando o condutor do carro em que morreram mãe e filho tentou passar por uma ponte praticamente submersa e foi surpreendido por uma enxurrada agravada pelo rompimento de uma barragem. "E as previsões do tempo nos preocupam. Tem muita chuva entrando no Estado e a situação pode se agravar um pouco", alerta o diretor, receando por áreas de encostas, especialmente no litoral e no Vale do Itajaí.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.