Chuvas em Fortaleza: estado de calamidade pública

Pressionado pela sociedade civil, o prefeito Juraci Magalhães (PMDB) decretou nesta manhã estado de calamidade pública em Fortaleza por causa dos estragos provocados pelas chuvas que continuam caindo sobre a cidade. Na nota oficial divulgada no início desta tarde, Juraci explica que foi criada uma comissão diretora de todos os trabalhos a serem desenvolvidos. A comissão é presidida pela vice-prefeita, Maria Isabel Lopes. Também foi constituída uma controladoria com uma equipe da Secretaria de Finanças, que será responsável pela análise e controle dos investimentos necessários. Magalhães esteve reunido durante toda a manhã de hoje com sua equipe para intensificar o atendimento às vítimas das enchentes. O Centro de Defesa e Promoção dos Direitos Humanos da Arquidiocese de Fortaleza decidiu ingressar na Justiça com uma ação civil pública responsabilizando a Prefeitura e o Governo do Estado pelos estragos das chuvas que já provocaram oito mortes. Endossam a ação a Federação de Bairros e Favelas de Fortaleza (PBFF), Cáritas Brasileira e as Organizações Não-Governamentais (ONGs) Vida Brasil e Cearah Periferia. Segundo a FBFF, o número de desabrigados é de 72 mil.Mais chuvas - A previsão da Fundação Cearense de Meteorologia é de mais chuvas até segunda-feira. No acumulado do ano já choveu 1.026 mm em Fortaleza. Com a capital cearense, já são cinco os municípios do Ceará em estado de calamidade pública decretato por causa das enchentes. Os outros quatro são: Maracanaú, Palmácia, Aquiraz e Caucaia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.