Chuvas irregulares não aliviam falta d´água no Paraná

As chuvas que caíram desde a noite de quinta-feira, 27, até a tarde desta sexta-feira, 28, no Paraná foram rápidas e mal distribuídas, não ajudando muito para aliviar o problema de abastecimento. De acordo com o meteorologista do Instituto Tecnológico Simepar, César Duquia, a média foi de 10 a 15 milímetros. Em Curitiba, a chuva foi um pouco mais forte na região sul da cidade.Em razão disso, a Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar) começou a utilizar hoje as águas que ficam represadas em cavas nos arredores de Curitiba. Assim poderá manter temporariamente fechadas as barragens Piraquara e Iraí. As duas estavam, nesta sexta-feira, com 38% da capacidade, o que representa 31 milhões de metros cúbicos armazenados, volume insuficiente para suportar uma estiagem até as possíveis chuvas de primavera.Nas duas cavas que começaram a ser exploradas - do Rio do Meio e do Rio Iguaçu - há reserva de 3,5 milhões de metros cúbicos. Somando-se o que vem sendo captado por barragens particulares, cavas e outros rios a oferta incremental é de mil litros por segundo. Com isso, a Sanepar espera evitar o racionamento na distribuição de água. A empresa continua fazendo apelos por uma economia diária de 20% para cada habitante, o que representa 56 litros. Em média, cada curitibano consome entre 160 e 170 litros por dia.Para sábado, a previsão meteorológica é que uma massa fria entre no Estado derrubando a temperatura. Segunda-feira pode ser registrada geada em algumas regiões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.