Chuvas já deixaram nove mortos no Estado de São Paulo

Subiu para nove, no fim de semana, o número de mortes causadas pelas chuvas no Estado de São Paulo, segundo a Defesa Civil. Até segunda-feira, já eram 94 os municípios atingidos com prejuízos e, destes, 25 tinham decretado estado de emergência. Há 324 desabrigados em todo o Estado, desde o início da Operação Verão, em 1º de dezembro.Na tarde desta terça-feira, o governador José Serra deve assinar um protocolo de intenções que prevê a liberação de recursos a 46 municípios atingidos pela chuva nas últimas semanas. Os valores serão aplicados pelos municípios na construção de pontes, barragens, e de galerias de águas pluviais arrastadas pela força da água. Todas as cidades contempladas tiveram planos de recuperação aprovados pelos técnicos da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec).Na noite de sábado, o aposentado João Francisco Ribeiro da Luz, de 60 anos, morreu ao ser arrastado pelas águas do Ribeirão Mendes, em Fernando Prestes, na região de Araraquara. As águas subiram 5 metros e alagaram parte da cidade. Em mais de 50 casas, o alagamento atingiu o mobiliário e obrigou à retirada das famílias. Dez casas desabaram com a força das águas e outras 14 foram interditadas pela prefeitura. Na segunda-feira, o prefeito Bento Luchetti Júnior (PSDB) decretou situação de emergência no município, onde estradas rurais estão interditadas.Em Taquaritinga, a represa da Vila Esperança transbordou e inundou parte da zona industrial e áreas rurais. As chuvas voltaram a causar prejuízos em Tatuí, na região de Sorocaba. O córrego Manduca transbordou e alagou casas na região ribeirinha. Em Caçapava, no Vale do Paraíba, a enchente do ribeirão Dois Córregos atingiu pelo menos 40 casas na Vila Favorino, subdistrito de Piedade.Os moradores foram para a casa de parentes. A malha rodoviária voltou a ser afetada pelas chuvas. A Rodovia Washington Luís (SP-330) ficou alagada do km 343 ao 344 na madrugada de domingo pela enchente do ribeirão Mendes. Em Cândido Rodrigues, três vicinais estão interditadas, entre elas a ligação com Monte-Mór, onde a cabeceira de uma ponte ruiu.No Mato Grosso do Sul, seis municípios estão sob decreto de emergência, por causa das chuvas. Entre os locais mais castigados, está a cidade de Bonito.As tempestades obrigaram inclusive o fechamento do balneário municipal. Mas, a situação mais grave é em Campo Grande, onde há uma epidemia de dengue.AlertaA Secretaria Nacional de Defesa Civil (Sedec), do Ministério da Integração Nacional, alerta para chuva forte nesta terça-feira, no Espírito Santo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, norte de São Paulo e o Distrito Federal. Na quarta-feira, a chuva persiste em Goiás, Distrito Federal, leste do Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e sul de Minas.A Sedec orienta que a população evite áreas de alagamento e locais com pouca ou nenhuma proteção contra raios e ventos fortes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.