Chuvas matam duas adolescentes em Santa Catarina

Duas adolescentes morreram afogadas e perto de 600 pessoas estão desabrigadas em Santa Catarina, em função das chuvas provocadas pelo ciclone extratropical que está próximo à costa sul do Brasil. A região mais afetada foi o sul do Estado, a mesma atingida pelo ciclone Catarina no final de março.Aline Nunes, de 14 anos, e Cristiana Cardoso, de 13, caíram em uma lagoa que transbordou e não conseguiram se salvar. A lagoa é formada em uma antiga mina de carvão do município de Forquilhinha. Entre as 17 cidades que enfrentam alagamentos, a situação é mais crítica em Maracajá, Araranguá, Morro da Fumaça, Passo de Torres, Forquilhinha e Laguna. As 200 famílias que moram na zona rural de Forquilhinha estão isoladas e só se chega de barco às localidades.A BR-101, interditada no início da noite de quinta-feira entre Araranguá e Maracajá, foi reaberta para caminhões à tarde, mas novamente interditada no início da noite. A lâmina d´água chegou a 50 centímetros em alguns trechos. Filas de mais de 15 quilômetros se formaram nos dois sentidos.O ciclone também provocou ressaca no mar, com ondas atingindo 2,5 metros na beira das praias. Como o fenômeno está se dissipando, a previsão é que a chuva diminua neste sábado, mas o mar deve continuar agitado.Também em função das chuvas, a SC-407, entre Anitápolis e Rancho Queimado (Grande Florianópolis) ficou interditada desde a noite de quinta-feira. A estrada não-pavimentada é alternativa aos motoristas que se dirigem ao sul do Estado e seu fechamento deixou cerca de 700 alunos sem aulas hoje, por falta de transporte.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.