Chuvas na Paraíba causam morte de bebê; uma criança está desaparecida

Temporais atingem o Estado desde a última sexta; 28 cidades estão em estado de emergência

Marcela Gonsalves, estadão.com.br

18 Julho 2011 | 15h56

SÃO PAULO - Um bebê de dois meses morreu neste domingo, 17, na cidade de Puxinanã, na Paraíba. A casa em que ele estava desabou por causa da chuva.

 

Em Campina Grande, uma criança está desaparecida. Ela teria sido levada pela enxurrada. Os bombeiros realizavam buscas nesta segunda-feira, 18, para encontrá-la.

 

As fortes chuvas que atingem o Estado desde a última sexta-feira, 15, fizeram com que o Governo da Paraíba decretasse situação de emergência em 28 cidades. O governador Ricardo Coutinho e os prefeitos dos municípios atingidos se reuniram na manhã desta segunda-feira, 18, no Palácio da Redenção, em João Pessoa, para discutir as medidas a serem tomadas para solucionar os problemas ocasionados pelas enchentes e inundações.

 

Segundo a Defesa Civil estadual, as cidades afetadas são: Araçagi, Alagoa Nova, Alhandra, Bayeux, Caaporã, Cabedelo, Campina Grande, Cruz do Espírito Santo, Cuitegi, Gurinhem, Itabaiana, Ingá, João Pessoa, Juarez Távora, Lagoa Seca, Mamanguape, Mogeiro, Mulungu, Natuba, Pilar, Pirpirituba, Puxinanã, Rio Tinto, Sapé, Salgado de São Felix, Santa Rita, Sobrado e São José dos Ramos.

 

Recorde. As temperaturas abaixo da média que João Pessoa tem registrado nos últimos dias se devem ao alto nível de chuva que tem atingido o Nordeste, conforme a Climatempo. João Pessoa registrou ontem a menor temperatura mínima e a menor máxima de 2011, segundo a Climatempo.

 

A temperatura mínima foi de 20,3ºC e a máxima, de 23,8ºC, informou o instituto, citando dados do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). Os recordes anteriores foram de 20,9ºC, em 4 de junho, e de 25ºC, em 12 de julho, para o menor e maior temperatura, respectivamente, de acordo com a Climatempo.

Mais conteúdo sobre:
chuva PB morte bebê Puxinanã Campina Grande

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.