Grande Recife: chuvas e deslizamentos deixam 84 mortos em quase 1 semana

Mais de 2 mil moradores de Recife precisaram deixar as casas

Luiz Henrique Gomes - especial para o Estadão

Pelo menos 84 pessoas morreram e outras 56 estão desaparecidas em decorrência das fortes chuvas que caem na Grande Recife desde a terça-feira, 24, segundo o governador Paulo Câmara (PSB), em entrevista coletiva concedida no início da noite deste domingo, 29.

O volume de chuvas chegou a 236,01 milímetros em alguns locais de Recife durante a madrugada do sábado, 28, e alcançou 70% do volume previsto para todo o mês de meio. O governo federal vai decretar situação de emergência neste domingo, 29. O Ministério do Desenvolvimento Regional acompanha a situação.

Mais de 32 mil famílias moram em áreas de risco de deslizamentos somente em Recife e foram orientadas a procurarem um local seguro. Mais de 3.957 pessoas estão desabrigadas e 533, desalojadas. 

Continua após a publicidade

Dos óbitos ocorridos nas últimas 24 horas, pelo menos 20 ocorreram por conta de um deslizamento de terra no Jardim Monte Verde, bairro do Ibura, na zona sul do Recife. Duas mortes foram causadas em Sítio dos Pintos e no Córrego do Jenipapo, na zona Norte. As outras seis pessoas morreram num deslizamento de barreira em Camaragibe, na região metropolitana.

Imagem deste sábado, 28, mostra equipes de resgate em área da Grande Recife afetada por deslizamentos de terra. Ao menos 35 pessoas morreram em decorrência das chuvas que caíram na região durante a semana Foto: Genival Paparazzi/EFE

As chuvas já haviam causado a morte de outras cinco pessoas ao longo desta semana. Quatro delas aconteceram em Olinda entre a quarta e a quinta-feira, e a outra aconteceu no bairro da Muribeca, em Jaboatão dos Guararapes, nesta sexta-feira. 

Segundo a Defesa Civil de Recife, o volume de chuvas registrado na madrugada deste sábado equivale a 70% do total previsto para todo o mês de maio, que é de 328,9 mm.

Além dos deslizamentos, uma parte do muro do aeroporto da capital também desabou nas últimas horas e dezenas de locais ficaram alagados na região metropolitana de Recife. A Defesa Civil de Recife recebeu 274 chamados de moradores na madrugada do sábado, com pedidos de vistorias e de colocação de lona plástica para proteger das chuvas.

Entre as vítimas, há ao menos oito crianças. Seis delas foram socorridas pela UPA do Ibura, mas não resistiram.

AGORA | Inundações, transbordamento de rios, alagamentos generalizados e múltiplos deslizamentos de terra. A situação é muito grave na Grande Recife em consequência da chuva. Saiba mais em https://t.co/NIlnrYizB3. pic.twitter.com/1v8rZ83UYY

Na noite desta sexta-feira, a prefeitura de Recife alertou a população sobre o risco causado pelas chuvas registradas na cidade. O prefeito João Campos orientou os moradores a procurarem locais seguros diante das previsões e anunciou a mobilização de 3 mil profissionais para atuarem no socorro às vítimas.

"O Recife e a região metropolitana estão sendo atingidos por um fenômeno extremamente rigoroso conhecido como ondas de leste. Temos em algumas localidades da cidade um acúmulo de 428 milímetros [de chuvas] nas últimas 96 horas", afirmou nas redes sociais.

A prefeitura da cidade já havia intensificado ações nos últimos dias por conta das chuvas. A Secretaria de Educação do Recife disponibilizou 14 escolas e creches da rede municipal de ensino para acolher as famílias desabrigadas por conta das chuvas.

Por meio de nota, o governo federal anunciou neste sábado que os ministros Carlos Brito (Turismo) e Ronaldo Bento (Cidadania) estarão neste domingo em Pernambuco para identificar as necessidades das famílias atingidas pelas chuvas na região. /COLABOROU THATI TEIXEIRA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Grande Recife: chuvas e deslizamentos deixam 84 mortos em quase 1 semana

Mais de 2 mil moradores de Recife precisaram deixar as casas

Luiz Henrique Gomes - especial para o Estadão

Pelo menos 84 pessoas morreram e outras 56 estão desaparecidas em decorrência das fortes chuvas que caem na Grande Recife desde a terça-feira, 24, segundo o governador Paulo Câmara (PSB), em entrevista coletiva concedida no início da noite deste domingo, 29.

O volume de chuvas chegou a 236,01 milímetros em alguns locais de Recife durante a madrugada do sábado, 28, e alcançou 70% do volume previsto para todo o mês de meio. O governo federal vai decretar situação de emergência neste domingo, 29. O Ministério do Desenvolvimento Regional acompanha a situação.

Mais de 32 mil famílias moram em áreas de risco de deslizamentos somente em Recife e foram orientadas a procurarem um local seguro. Mais de 3.957 pessoas estão desabrigadas e 533, desalojadas. 

Continua após a publicidade

Dos óbitos ocorridos nas últimas 24 horas, pelo menos 20 ocorreram por conta de um deslizamento de terra no Jardim Monte Verde, bairro do Ibura, na zona sul do Recife. Duas mortes foram causadas em Sítio dos Pintos e no Córrego do Jenipapo, na zona Norte. As outras seis pessoas morreram num deslizamento de barreira em Camaragibe, na região metropolitana.

Imagem deste sábado, 28, mostra equipes de resgate em área da Grande Recife afetada por deslizamentos de terra. Ao menos 35 pessoas morreram em decorrência das chuvas que caíram na região durante a semana Foto: Genival Paparazzi/EFE

As chuvas já haviam causado a morte de outras cinco pessoas ao longo desta semana. Quatro delas aconteceram em Olinda entre a quarta e a quinta-feira, e a outra aconteceu no bairro da Muribeca, em Jaboatão dos Guararapes, nesta sexta-feira. 

Segundo a Defesa Civil de Recife, o volume de chuvas registrado na madrugada deste sábado equivale a 70% do total previsto para todo o mês de maio, que é de 328,9 mm.

Além dos deslizamentos, uma parte do muro do aeroporto da capital também desabou nas últimas horas e dezenas de locais ficaram alagados na região metropolitana de Recife. A Defesa Civil de Recife recebeu 274 chamados de moradores na madrugada do sábado, com pedidos de vistorias e de colocação de lona plástica para proteger das chuvas.

Entre as vítimas, há ao menos oito crianças. Seis delas foram socorridas pela UPA do Ibura, mas não resistiram.

AGORA | Inundações, transbordamento de rios, alagamentos generalizados e múltiplos deslizamentos de terra. A situação é muito grave na Grande Recife em consequência da chuva. Saiba mais em https://t.co/NIlnrYizB3. pic.twitter.com/1v8rZ83UYY

Na noite desta sexta-feira, a prefeitura de Recife alertou a população sobre o risco causado pelas chuvas registradas na cidade. O prefeito João Campos orientou os moradores a procurarem locais seguros diante das previsões e anunciou a mobilização de 3 mil profissionais para atuarem no socorro às vítimas.

"O Recife e a região metropolitana estão sendo atingidos por um fenômeno extremamente rigoroso conhecido como ondas de leste. Temos em algumas localidades da cidade um acúmulo de 428 milímetros [de chuvas] nas últimas 96 horas", afirmou nas redes sociais.

A prefeitura da cidade já havia intensificado ações nos últimos dias por conta das chuvas. A Secretaria de Educação do Recife disponibilizou 14 escolas e creches da rede municipal de ensino para acolher as famílias desabrigadas por conta das chuvas.

Por meio de nota, o governo federal anunciou neste sábado que os ministros Carlos Brito (Turismo) e Ronaldo Bento (Cidadania) estarão neste domingo em Pernambuco para identificar as necessidades das famílias atingidas pelas chuvas na região. /COLABOROU THATI TEIXEIRA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Atualizamos nossa política de cookies

Ao utilizar nossos serviços, você aceita a política de monitoramento de cookies.