Chuvas provocam alagamentos e estragos em cidades mineiras

Nos últimos 15 dias, choveu na capital mineira 373 mm, superando os 320 mm esperado para o mês de dezembro, segundo a Defesa Civil

estadão.com.br,

16 de dezembro de 2011 | 10h44

SÃO PAULO - Vários municípios de Minas Gerais, principalmente na região metropolitana de Belo Horizonte, foram atingidos pelas fortes chuvas que atingiram o Estado nas últimas 48 horas.

Segundo a Defesa Civil estadual, em Belo Horizonte foram registrados diversos pontos de alagamentos e inundações, principalmente nos bairros 1º de Maio, Prado, Guarani e Gutierrez.

O rompimento de uma adutora da Copasa provocou a formação de uma cratera, interditando as Avenidas Cristiano Machado e Francisco Sá, colocando em risco duas residências. No bairro Floresta, ocorreu o tombamento de um muro sobre alguns veículos, mas sem deixar feridos.

Nos últimos 15 dias, choveu na capital mineira 373 mm, superando os 320 mm esperado para o mês de dezembro, segundo a Defesa Civil. Já choveu 15% acima da média climatológica na cidade. Nestas ultimas 24hs, choveu 92 mm na região centro-sul e 154 mm na Pampulha.

Na cidade de Contagem, os bairros Centro, Nacional, Ressaca e Nova Contagem foram os mais afetados, com registro de deslizamentos, desabamentos de muros e parciais de residências. Seis famílias ficaram desalojadas, sendo três delas retiradas em definitivo pela prefeitura e encaminhadas para o programa bolsa moradia.

Em Ouro Preto, as intensas chuvas da tarde de ontem, provocou a queda parcial de uma residência na área urbana, que soterrou parcialmente uma criança de dois anos, que dormia no interior do imóvel. Ela foi socorrida por familiares que a retiraram dos escombros, resgatando o menino que não sofreu ferimentos. Três famílias estão desabrigadas e outras oito ficaram desalojadas.

Desaparecido. O corpo de Poliane Alves de Oliveira, de 27 anos, desaparecido desde a tarde de 19 de novembro, em Governador Valadares, foi localizado no leito do Rio Doce na manhã da última terça-feira, 13. Ela desapareceu após uma forte chuva atingir a cidade.

Mais conteúdo sobre:
chuvaminas geraisdefesa civil

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.