Chuvas provocam alagamentos e primeira morte no Recife

As chuvas que caíram desde o início da semana na região metropolitana provocaram a morte do ambulante José Alexandre da Silva, 58 anos, hoje pela manhã, no Recife. Ele dormia na sua casa, em Nova Descoberta, área de morro, na zona norte da cidade, quando uma barreira deslizou e praticamente destruiu a moradia. Os bombeiros encontraram seu corpo, soterrado, depois de três horas de buscas. Ele morava sozinho. Foi a primeira morte registrada devido a chuva na região metropolitana do Recife neste ano. Na casa vizinha do ambulante, parcialmente atingida pela barreira, duas pessoas ficaram feridas e foram atendidas no Hospital da Restauração. Ali foram atendidos pelo menos mais quatro pessoas: duas atingidas por deslizamento de barreira em Olinda e outras duas, pelo mesmo problema, em Paulista. Em Olinda, moradores de bairros como Aguazinha, Cajueiro e Peixinhos ficaram ilhados devido ao transbordamento de canais e do Rio Beberibe, cujo nível subiu muito e alagou áreas ribeirinhas. Até o final da tarde, 223 pessoas estavam desabrigadas e foram recebidas em escolas públicas do município. O Corpo de Bombeiros registrou 243 ocorrências no município. A BR-101 Sul, que liga o Recife a João Pessoa (PB), ficou interditada no km 61, devido a um transbordamento de canal naárea. Só caminhões conseguiam passar pelo local, provocando engarrafamentos e transtornos. Na BR-232, que leva a Caruaru,no agreste, o tráfego era lento em alguns pontos, devido a deslizamentos de barreiras nas margens da rodovia. De acordo com o Instituto de Meteorologia, choveu 113,2 milímetros no Recife de ontem a hoje pela manhã. O acumulado do mês na capital era de 314,3 milímetros. A média pluviométrica de junho é de 390 milímetros. A previsão é de mais chuva, nos próximos dois dias, com menor intensidade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.