Chuvas provocam novos deslizamentos de terra em Blumenau

Região onde houve desmoronamentos estava desabitada e não houve feridos; busca por desaparecidos continua

Fabiana Marchezi, estadao.com.br

10 de dezembro de 2008 | 16h08

Novos deslizamentos de terra foram registrados na noite de terça-feira, 9, após a forte chuva que atingiu a cidade de Blumenau, em Santa Catarina. De acordo com o Corpo de Bombeiros, ninguém se feriu. Os deslizamentos aconteceram nos bairros Água Verde e Velha, em áreas desocupadas. O trabalho de resgate na cidade se concentra em uma área na divisa com o município de Gaspar, onde um casal estaria soterrado.   Veja também: Ministério da Saúde libera R$ 100 mi para SC Saiba como ajudar as vítimas das chuvas IML divulga lista de vítimas identificadas Repórteres relatam deslizamento em Ilhota  Mulher fala da perda de parentes em SC Tragédia em Santa Catarina  Blog: envie seu relato sobre as chuvas  Veja galeria de fotos dos estragos em SC   Tudo sobre as vítimas das chuvas       Nesta quarta, a Defesa Civil de Santa Catarina ainda contava 123 vítimas das chuvas. Em todo o Estado, mais de 33 mil pessoas continuam desabrigadas ou desalojadas. Ao todo, são 14 municípios em estado de calamidade pública e outros 63 em situação de emergência.   Para confortar um pouco as pessoas que tiveram perdas por conta das chuvas, dezenas de cartas escritas por alunos do Colégio Santa Marcelina, em São Paulo, foram encaminhadas nesta tarde para famílias desabrigadas. As mensagens escritas a mãos levam esperança e demonstrações de solidariedade para os atingidos. Uma maneira diferente de ajudas as vítimas das chuvas no Estado.   Além disso, as doações feitas em dinheiro também irão ajudar os moradores de cidades atingidas pelas fortes chuvas. Até terça, os depósitos feitos nas nove contas bancárias do Fundo Estadual da Defesa Civil do Estado alcançaram R$ 22,2 milhões.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.