Chuvas provocam queda de ponte, mortes e interdições no RS

Equipes trabalham na busca de desaparecidos em Agudos após via ceder; dois corpos foram achados no Estado

Sandra Hahn, da Agência Estado,

05 Janeiro 2010 | 19h53

Pedestres olhavam correnteza quando árvores bateram na estrutura da ponte. Foto: Lauro Alves/RBS

 

PORTO ALEGRE - Pelo menos cinco pessoas estão desaparecidas desde a queda de uma ponte na manhã desta terça-feira, 5, entre Agudo e Restinga Seca, na região central do Rio Grande do Sul. A estrutura foi rompida pela força da correnteza do rio Jacuí, após fortes chuvas no domingo e segunda-feira no Estado. Várias pessoas estavam sobre a ponte, na RSC-287, observando a correnteza quando ocorreu o acidente - o número ainda permanecia incerto esta tarde. Até o começo da noite, não havia sido divulgada uma lista oficial e nem o número final de desaparecidos. Várias equipes de buscas trabalhariam até às 21h na tentativa de localizar desaparecidos.

 

O prefeito de Agudo, cidade a 242 quilômetros de Porto Alegre, Ari Alves da Anunciação (PMDB), contou que um contador, sua chefe de gabinete e um auxiliar administrativo do município estavam na ponte, mas deixaram o local quando a estrutura tremeu e conseguiram sair em segurança. Ao longo do dia, foram resgatadas oito pessoas que caíram no rio quando a ponte cedeu e conseguiram se manter agarradas a árvores e a um cabo de fibra ótica, também rompido, descreveu o prefeito. Além de problemas de infraestrutura, a cidade enfrentava também falta de água devido ao rompimento de um ano de abastecimento, informou o prefeito.

 

As chuvas também causaram duas mortes em Espumoso, ao norte, e Candelária, na região central. Os corpos de dois agricultores que estavam desaparecidos desde segunda-feira foram localizados hoje. Alexandre Rodrigues, de 39 anos, foi arrastado pela correnteza do rio Butiá, em Espumoso. Hari Kappaun, foi ilhado pelas águas do rio Pardo, em Candelária, quando tentava retirar o gado do pasto.

 

A Defesa Civil registrou 343 desabrigados e 808 desalojados pelas chuvas no Estado pelas chuvas nos dias 3 e 4. Além de pontes municipais danificadas ou destruídas pelas águas, várias estradas estaduais sofreram interdições parciais e totais por causa das chuvas. Ao final da tarde, 20 rodovias apresentavam problemas, de acordo com o Departamento Autônomo de Estradas e Rodagem.

 

A governadora Yeda Crusius (PSDB) sobrevoou esta manhã o local do acidente na ponte sobre o rio Jacuí, que tem 314 metros de extensão. O DAER começou uma avaliação para determinar as causas da queda. O órgão controla 2,5 mil pontes no Estado.

Mais conteúdo sobre:
Rio Grande do Sul chuvas

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.