Chuvas voltam a causar estragos em Minas

As chuvas que atingem várias regiões de Minas Gerais desde asemana passada continuam causando muitos estragos. Um temporal atingiu a capital mineira na madrugada desta terça-feira e provocou alagamentos na região Norte da cidade. O nível da água na lagoa da Pampulha subiu bastante, inundando pistas e bares do bairro. Segundo a administração regional, os motivos do alagamento seriam o volume da chuva e também o assoreamento em vários pontos da lagoa. No bairro Santa Terezinha, o córrego Ressaca transbordou, inundou casas e alagou várias ruas.Na favela do Cafezal, na zona Sul da cidade, onde quatro pessoasmorreram soterradas na semana passada, parte de um barraco desabou durante a madrugada. Dois cômodos da casa foram destruídos. Os dois moradores, no entanto, conseguiram escapar sem ferimentos porque dormiam em um único cômodo que ficou de pé. Na região Leste, no bairro Sagrada Família, um muro e parte do chão de uma garagem desabaram. Uma pessoa sofreu ferimentos leves.As chuvas continuam causando estragos também no interior do Estado. Em Governador Valadares, a 305 quilômetros da capital mineira, o nível do Rio Doce continua alto. Mais de dez bairros já foram atingidos pela cheia do rio. De acordo com a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec), em Passabém, a 224 quilômetros de Belo Horizonte, a Prefeitura decretou situação de emergência devido às fortes chuvas que atingiram a cidade ontem. As chuvas causaram a enchente de três córregos, provocando a inundação do centro do município, além de interromper estradas. O Cedec registrou ainda desabamentos de residências e deslizamentos de terra. Em Araxá, no Alto Paranaíba, a 351 quilômetros da capital, a chuva provocou a inundação de ruas e dois bairros. Segundo o Cedec, 11 pessoas ficaram desabrigadas e três, desalojadas. O pátio do Grande Hotel também foi atingido.A Defesa Civil informou que a Prefeitura de Rio Pomba, a 336quilômetros de BH, decidiu decretar estado de calamidade pública devido aos danos causados pelas chuvas. Trinta residências foram danificadas e 40 pessoas ficaram desalojadas.Em Guidoval, distante 327 quilômetros de Belo Horizonte, a inundação do Rio Xopotó deixou 30 pessoas desabrigadas e provocou a destruição de 11 estabelecimentos comerciais. Até o momento, de acordo com o Cedec, as chuvas dos últimos dias já provocaram a morte de 44 pessoas em Minas. Há ainda 1.401 desabrigados e 8.409 desalojados em todo o Estado. Mais de 2,5 mil casas já foram danificadas ou destruídas este ano pelas chuvas, que também já provocaram a queda de barreiras em várias estradas e a destruição de 29 pontes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.