Cidade adota apagão para economizar

A prefeitura de Potim, no Vale do Paraíba, vai reeditar o apagão no município e cortar, além dos gastos de energia elétrica dos prédios públicos, 50% da iluminação da cidade . A medida emergencial, entre outros cortes de gastos da prefeitura, foi tomada para que a administração municipal consiga contornar uma dívida acumulada de um milhão de reais. Parte da iluminação pública será cortada por tempo indeterminado. Além do apagão, a prefeitura reduziu o horário de atendimento ao público, que passa a ser realizado das 8 às 13 horas. Nesta tarde, um cartaz colocado na frente da prefeitura avisava do novo horário.Também estão suspensos todos os pagamentos a fornecedores, bem como os serviços da administração, exceto os de emergência, como saúde e limpeza pública. Baseado na lei de Responsabilidade Fiscal, o prefeito suspendeu ainda o uso da frota de veículos, com exceção das ambulâncias em serviços de emergência, o uso de máquinas copiadoras, ligações telefônicas para celulares, horas extras e a admissão de funcionários. "Tomamos essas medidas por que além da dívida, tivemos queda na arrecadação", afirmou o prefeito João Angelieri (PSB) .A prefeitura tem 372 funcionários e, em junho, a folha mensal de salários e encargos foi de R$ 343.323,30. A receita totalizou aproximadamente R$ 635 mil e a despesa atingiu cerca de R$ 750 mil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.