Cidade do Mato Grosso do Sul proíbe 'paquera' em praça

Segundo decisão, 'paquera' seria toda aglomeração de pessoas com bebidas alcóolicas e som alto

Carolina Spillari, estadão.com.br

14 Julho 2011 | 18h49

SÃO PAULO - A Justiça de Itaporã (MS) proibiu a "paquera" nos finais de semana na praça central da cidade. A decisão do juiz Adriano da Rosa Bastos foi publicada nesta quarta-feira, 13, na portaria 034/2011-DF. Segundo a portaria, a ''paquera'' quer dizer toda a aglomeração de adolescentes e adultos com bebidas alcoólicas e aparelhos de som com volume alto. A Polícia Militar (PM) está incumbida de fazer policiamento ostensivo no local para cumprir a portaria e está autorizada a fazer apreensões e tomar as providências necessárias.

A publicação da portaria é justificada pelo juiz Adriano da Rosa Bastos. Segundo ele, é dever do Poder Judiciário manter a ordem pública e possibilitar a tranquilidade da sociedade se ocorrem situações que colocam em risco a segurança da aérea daquela seção do judiciário.

De acordo com a portaria, durante a "paquera" foi registrado homicídio e "fatos típicos geradores de diversos termos circunstanciados de ocorrência". Itaporã tem uma população de 20.865 habitantes em uma área de mais de mil quilômetros quadrados, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Mais conteúdo sobre:
proibição paquera MS justiça Itaporã

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.