Cidade paulista inventa o vale-esmola

Ao invés de dinheiro vivo, os pedintes que abordam veículos em semáforos de Sorocaba estão recebendo um tíquete no valor de R$ 1,00. Para trocá-lo, terão de se dirigir à sede da Associação Cristã de Assistência Plena (Acap), entidade que atende a pessoas de rua na cidade. O vale-cidadania, que começou a ser utilizado hoje, foi a forma encontrada pela instituição filantrópica para tentar reduzir o número de pessoas que vivem da exploração da caridade alheia. Muitas fazem uso de crianças na abordagem das pessoas. O vale foi lançado juntamente com a campanha "Esmola não, cidadania sim", que visa a convencer as pessoas acostumadas a dar dinheiro para pedintes a repassar a doação para a entidade, em troca dos vales. A campanha está sendo veiculada através de out-doors e nos meios de comunicação. A empresa está usando serviços de telemarketing paracolocar a primeira edição de 10 mil vales. Segundo o diretor Luis Santos, quando o pedinte procura a Acap, é iniciado um processo de reinclusão dessa pessoa à sociedade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.