Cidades decretam emergência devidos às enxurradas em SC e MG

Somente em Minas Gerais, cerca de 1,5 milhão de pessoas foram afetadas pelos temporais

Marília Lopes, Central de Notícias

21 de fevereiro de 2011 | 12h32

SÃO PAULO - Subiu para 126 o número de cidades em emergência em Minas Gerais por conta das chuvas. As últimas cidades a decretarem a situação foram Bonito de Minas e Lagoa Formosa. De acordo com boletim divulgado pela Defesa Civil do Estado nesta segunda-feira, 21, são 172 os municípios afetados pelas chuvas.

 

Ainda segundo o balanço da Defesa Civil, em todo o Estado, 1.428.886 foram afetadas de alguma maneira pelos temporais, que deixaram 30.597 desalojados, que estão na casa de parentes ou amigos, e 3.669 desabrigados, que perderam tudo e ocupam abrigos públicos.

 

Mais de sete mil casas foram danificadas pelas chuvas, sendo 300 destruídas. Minas Gerais já registra 17 mortes em decorrência das chuvas desde outubro de 2010, quando tem início o período de chuvas no Estado.

 

Santa Catarina. Já são 110 os municípios de Santa Catarina que decretaram emergência pelas enxurradas que atingem o Estado. Outras nove cidades também estão na mesma situação por outros motivos: quatro devido aos vendavais, uma por erosão, duas por ressaca, uma por alagamento e uma por praga. Em Mirim Doce, no Vale do Itajaí, o prefeito decretou situação de calamidade pelas enxurradas em janeiro. Ao todo, 119 cidades estão em situação de emergência.

 

A Defesa Civil não divulgou os números atualizados sobre desalojados e desabrigados por conta das chuvas. Segundo a assessoria de imprensa do órgão, não é possível precisar o número de pessoas que tiveram que deixar suas casas, pois muitas já puderam retornam as residências, considerando que a maior parte das cidades decretou situação de emergência em janeiro.

Tudo o que sabemos sobre:
Santa Catarinachuvasemergência

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.