Cidades históricas vetam funk, hip-hop e sertanejo no carnaval

Medida é tomada para preservar a tradição das marchinhas e sambas em Ouro Preto, Mariana e São João Del Rey

Ivana Moreira, especial para O Estado de S. Paulo,

04 Fevereiro 2009 | 10h11

BELO HORIZONTE - Se você gosta de axé, funk, rock ou música sertaneja, tire as cidades históricas mineiras dos seus planos neste carnaval. Três das mais visitadas cidades do circuito histórico do Estado - Ouro Preto, Mariana e São João Del Rey - vetaram esses ritmos nas folias. Em programações patrocinadas pelas prefeituras e nos espaços públicos, só sambas e marchinhas de carnaval poderão ser executados nas festas. A medida integra o projeto Carnaval das Cidades Históricas para resgatar o "carnaval de antigamente". Veja também: Cobertura completa do carnaval 2009 Blog: dicas para quem quer curtir e para quem quer fugir da folia Especial: mapa das escolas no Rio e em SP  Foliões se divertem no carnaval de rua de Ouro Preto, cidade histórica de MG. Foto: Arquivo/AE  "Queremos trazer para essas cidades pessoas que respeitem o patrimônio e a segurança", afirmou o secretário de Cultura e Turismo de São João Del Rey, Ralph Justino. Para 2010, a meta é atrair para o circuito mais duas cidades históricas de Minas - Diamantina e Sabará.  Todas essas cidades atraem milhares de turistas no carnaval. A maior parte deles é formada por jovens. O turismo de estudantes tem causado problemas para as cidades históricas. Além de gastar pouco, alguns grupos causam danos ao acervo colonial - no caso de Ouro Preto, reconhecido como patrimônio da humanidade pela Unesco.  Para Ralph Justino, o "carnaval de antigamente" das cidades históricas de Minas tem apelo para se tornar uma grande atração, despertando o interesse de milhares de turistas de outro perfil. O projeto foi anunciado ontem, em Belo Horizonte. O secretário disse acreditar que o carnaval histórico poderá, futuramente, ter tanto prestígio quanto o carnaval do axé, em Salvador, o carnaval das escolas de samba, no Rio, e o carnaval do frevo, no Recife.  Nas três cidades que já aderiram ao projeto Carnaval das Cidades Históricas, axé, rock, hip-hop e outros ritmos poderão ser executados somente em lugares fechados e privados que exijam a compra de ingresso ou em lugares mais isolados destinados especificamente para esse fim.  Em São João Del Rey, a prefeitura baixou decreto para regulamentar a execução das músicas durante a folia. Em Mariana, cidade que tenta conquistar o reconhecimento como patrimônio da humanidade pela Unesco, um dos atrativos do carnaval à moda antiga será o desfile de catitães - bonecos gigantes artesanais que fazem parte do folclore da região.  Em Ouro Preto, a programação oficial será realizada no centro histórico da cidade. Outros ritmos, no entanto, serão executados em festa no estacionamento da Universidade Federal de Ouro Preto (Ufop). 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.