Cidades isoladas no sudoeste paulista. Inundações no sul

Cinco cidades continuavam total ou parcialmente isoladas hoje, no sudoeste do Estado, em conseqüência das chuvas que atingem a região desde segunda-feira. Em Ribeirão Grande, foi restabelecida parcialmente a ligação com a cidade de Capão Bonito, através de um desvio. A estrada de acesso a Guapiara continua interditada. A maioria dos bairros rurais está sem ligação com a cidade. Em São Miguel Arcanjo, 25 pontes rodaram ou foram avariadas, deixando isolados pelo menos 20 bairros rurais. Cerca de 3.500famílias não têm como chegar à área urbana. Três pontes, uma delas de 80 metros, foram levadas pelas águas no município deIperó. Os bairros Corumbá e George Oeterer estão ficaram isolados. O surgimento de uma cratera levou à interdição da rodovia vicinal pavimentada que liga Iperó a Sorocaba. Também afundou a pista da ligação com Tatuí. O único acesso que restou aos 22 mil moradores é a ligação da cidade com a Rodovia Castelo Branco. No município de Itapetininga, a enchente no rio Itapetiningadeixou ilhados o distrito de Rechã e o bairro da Chapadinha. Cerca de 150 famílias continuam desabrigadas. Em Tatuí, aprefeitura removeu dezenas de famílias ilhadas pelo rio Sorocaba no distrito de Americana. As ruas ficaram tomadas pelas águas.A prefeitura de Sorocaba anunciou a doação de lotes para 49 famílias desabrigadas pelas chuvas que atingiram a cidade. Osmoradores receberão também material de construção. Desde o início da semana, as chuvas causaram a morte de cinco pessoas naregião, três em um desmoronamento ocorrido em Itapetininga, as outras duas - mãe e filha - levadas pelas águas em RibeirãoGrande.Ribeira A cheia do rio Ribeira de Iguape atingiu hoje a cidade de Iguape, no litoral sul paulista. De acordo com aDefesa Civil, galhos de árvores obstruíram as comportas de uma barragem existente no Valo Grande, na foz do rio, causando orepresamento das águas. Os bairros rurais Peropava, Bocuí, Gupuvura, Baicô e Jairê foram inundados. Bombeiros estavamusando barcos para retirar as famílias.Até a tarde tinham sido removidas mais de 200 pessoas. Os desabrigados eram levados para uma escola no bairro do Porto.Cobras e animais peçonhentos fugiam das águas e abrigavam-se nas casas. Um homem picado por uma aranha venenosa foilevado para o Pronto Socorro Municipal. A prefeitura decretou estado de emergência. Em Registro, no Vale do Ribeira, as águasbaixaram e as famílias desabrigadas começavam a voltar para casa. A cheia causou três mortes e deixou mais de 1.200desabrigados na região.

Agencia Estado,

29 de janeiro de 2004 | 17h01

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.