Cientologia quer grande sede em São Paulo

Ministra da polêmica religião diz que, em 2008, procura aumentou em 40%

Rodrigo Brancatelli, O Estadao de S.Paulo

21 de junho de 2008 | 00h00

A atendente traz um papel sulfite todo rabiscado de caneta preta, como se estivesse carregando uma prancheta médica. E com más notícias. Depois de apenas 40 segundos de análise, contados no relógio, ela diz sem rodeios que minha mente precisa rapidamente de ajuda. Me mostra, na tal folha sulfite, como meu espírito está fraco, impedindo o corpo de evoluir. Tenho falhas graves que vão da minha falta de confiança até a minha relação com os familiares. A situação é urgente, diz ela, com cara de preocupada. E apenas a Igreja da Cientologia pode me ajudar.Adorada e perseguida com a mesma intensidade nos EUA e em diversos países da Europa, a Cientologia não sai das manchetes dos tablóides e revistas sensacionalistas desde que Tom Cruise, John Travolta, Lisa Marie Presley e diversas outras estrelas começaram a propagar as maravilhas dessa religião criada na década de 50. São quase 10 milhões de fiéis, segundo a sua direção. A polêmica, no entanto, já começa na palavra "religião" - tribunais da Alemanha, Áustria e Holanda deram decisões nos últimos anos tachando a Cientologia de "seita gananciosa" ou "filosofia inescrupulosa". "Lavagem cerebral" também tem sido bastante usado. Isso sem falar nos boatos - Tom Cruise teria comido a placenta da sua filha, sua mulher, Katie Holmes, não pôde tomar remédios no parto, alienígenas controlam a mente das pessoas, crianças são "desassociadas" de suas famílias para integrar a trupe da Cientologia...Apesar de todo esse burburinho, há um local onde a Cientologia cresce expressiva e silenciosamente, sem chamar muito a atenção ou ser alvo de críticas. É ali na Rua Serra de Botucatu, uma pequena e tranqüila via no Tatuapé, na zona leste de São Paulo, que um sobrado com portão de ferro e pintura descascada faz as vezes de templo e atrai cada vez mais paulistanos atrás dos ensinamentos da igreja. Desde meados da década de 90, cerca de 15 mil pessoas já passaram pelo local e compraram ao menos uma cópia dos livros da Cientologia - são 18 títulos editados em português. Segundo a porta-voz da religião no País, Lucia Winther, a intenção agora é montar uma grande sede em São Paulo, nos moldes dos prédios luxuosos da Cientologia em Berlim, na Alemanha, e em Londres, na Inglaterra. "Claro que queremos crescer. Apenas neste começo de ano, tivemos um aumento de 40% na procura", diz a ministra da religião no País. No começo da década de 80, depois de abandonar o curso de Medicina Veterinária, Lucia conheceu a crença nos Estados Unidos, ao entrar em uma igreja por curiosidade. Hoje, controla toda a divulgação e ampliação do grupo. "Já temos livros em diversas bibliotecas da cidade, como a Mário de Andrade. Estamos agora atrás de um grande prédio para ampliar a Cientologia por aqui. Com o treinamento de ministros no exterior, temos planos de ter uma igreja ideal, como a de Londres e Berlim. E também queremos ir para o Rio, abrir uma missão por lá. Sabemos que o Rio precisa muito de uma igreja de Cientologia. A recente infestação de dengue comprova que os cariocas não estão bem espiritualmente."A casa no Tatuapé está longe de ser uma igreja propriamente dita, mas tem fotos do fundador da Cientologia, o autor de ficção científica L. Ron Hubbard, espalhadas por todos os recintos. Há uma outra sede no Planalto Paulista, na zona sul, que é ainda mais acanhada. A porta de entrada para a religião é um "teste de personalidade" gratuito, no qual o interessado responde a um questionário com 200 perguntas e recebe depois um diagnóstico no papel sulfite sobre a condição da sua mente. Algumas das questões: "Você prefere dar ordens ao invés de receber?"; "Custa-lhe aceitar o fracasso?"; "Folheia ao acaso dicionários ou listas telefônicas?"; "Suas ações são consideradas imprevisíveis?"; "Sente-se muitas vezes deprimido?"; "A vida lhe parece um tanto vaga e irreal?". É possível apenas responder "sim", "não" ou "talvez".A reportagem do Estado, sem se identificar, não foi muito bem nesse teste. Depois de quase 30 minutos para responder a todo o questionário, a atendente da Igreja levou exatos 40 segundos para analisar e anotar todos os meus pontos fracos. E não são poucos - basicamente, são todos aqueles em que a Cientologia poderia me ajudar. A igreja diz ser uma espécie de síntese entre ciência e religião - num resumo rápido, uma parte da mente chamada "reativa" seria responsável por todas as doenças psicossomáticas e por todos os sentimentos de insegurança. O homem, então, pode melhorar sua vida por meio de estudos e exercícios, disponíveis em seus livros, DVDs e cursos ministrados nas sedes. No caso da reportagem, o curso inicial de 12 horas e 30 minutos custaria R$ 250, mais os R$ 110 do livro e do DVD que fazem parte dessa iniciação. Mas a atendente, simpática, avisa: "Aproveita, porque esse curso normalmente custa R$ 500. E a primeira hora do curso é totalmente gratuita."FÃS BRASILEIROSFundada em 1954 na Califórnia, com pitadas de budismo, hinduísmo e tradições cabalísticas, a Cientologia foi criada por Lafayette Ron Hubbard (1911-1986), filho de um comandante da Marinha americana. Segundo publicações da Cientologia, ele seria formado em Engenharia Civil, com especialização em Física Nuclear, mas registros da escola revelam que ele cursou apenas dois anos e foi reprovado em Física. A religião tem o objetivo de "estudar o espírito, entender a relação de cada um consigo mesmo, com o universo e com outras formas de vida. É uma religião, uma sabedoria e uma ciência", diz o site da organização.Nos EUA, os cursos para evoluir na Cientologia são ministrados até em um cruzeiro luxuoso - chamado de Freewinds - e podem chegar a custar US$ 400 mil. Mas apesar de a Cientologia tupiniquim ser ainda um rascunho da internacional (para se ter uma idéia, o mais próximo de celebridade que conseguiram arrebanhar foi a escritora esotérica Mônica Buonfiglio), muitos seguidores compram todos os livros publicados em português, chamam amigos para os cursos e até viajam para completar seus estudos em outros países. "Muitos vão até a Venezuela ou a Colômbia, que atualmente são os expoentes da Cientologia no continente", diz Lucia Winther. Segundo ela, a Cientologia cumpre todos os critérios que os teólogos utilizam como regra geral para determinar o caráter religioso de um grupo. No site de relacionamentos Orkut, por exemplo, há seis comunidades formadas por paulistanos que defendem ferrenhamente os preceitos da Cientologia. "No começo, achei esquisito, por isso me interessei em descobrir o que havia por trás das manchetes sensacionalistas", diz o músico Pedro Bizelli, de 30 anos, guitarrista da banda Os Skywalkers. "Acabei descobrindo a religião, as idéias do Hubbard. A Cientologia tem uma abordagem empírica para você melhorar sua vida. Hoje, eu tenho mais facilidade de tocar a minha vida, não fico preso nas pequenas neuroses."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.