Ciganos procurados pela Interpol são presos em Bauru

A polícia de Bauru prendeu ontem um casal de ciganos procurados pela Interpol. Osvaldo e Ruth Vacite, de 65 e 62 anos, chegaram à cidade há três meses, onde instalaram um "consultório sentimental". Eles prometiam solucionar problemas financeiros e amorosos. Com a distribuição de panfletos e fazendo anúncios em outdors e jornais, ambos atraíam de 10 a 15 consulentes por dia, cobrando R$ 30,00 pela consulta e encaminhando-os, em seguida, para o "trabalho completo", que custava R$ 2 mil. Os que não aceitaram passaram a ser chantageados com as próprias informações sigilosas que forneceram na consulta. Uma das pessoas chantageadas procurou a polícia e criou condições para a prisão. O delegado José Jorge Cardia, da Delegacia de Investigações Gerais, encontrou na casa do casal US$ 1.900,00, documentos e jóias supostamente extorquidas dos consulentes. Entre os documentos está uma cautela de penhor de jóias na Caixa Econômica Federal, no valor de R$ 28 mil.Ruth, que atendida com o pseudônimo Vovó Milenca, e Osvaldo figuram na lista de 23 brasileiros procurados pela Interpol. Eles são acusados de aplicar golpes em Portugal e na Espanha. No Brasil, respondem a inquérito por estelionato, no Rio Grande do Sul. A polícia de Bauru investiga possíveis ramificações que o casal teria montado na região.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.