Secretaria da Segurança Pública do Estado da Bahia
Secretaria da Segurança Pública do Estado da Bahia

Cinco ciganos são assassinados em três dias na Bahia

Crimes ocorreram na região metropolitana de Salvador neste mês de janeiro. Polícia investiga assassinatos, mas não tem pista sobre os criminosos e a motivação

Heliana Frazão, especial para o Estadão

14 de janeiro de 2022 | 22h52

SALVADOR - Ao menos cinco ciganos foram assassinados num espaço de três dias, neste mês de janeiro, na Bahia. Os crimes aconteceram em três cidades da Região Metropolitana de Salvador. A polícia ainda investiga os fatos e não tem pistas sobre os criminosos e a motivação. O caso mais recente ocorreu na noite da quarta-feira, 12, na cidade de Santo Amaro da Purificação, distante cerca de 80 quilômetros de Salvador. A vítima foi o comerciante Luciano Ramos de Souza, morto enquanto jogava dominó com familiares e amigos, no bairro do Sacramento, onde morava.

De acordo com o que apurou a Polícia Militar, os criminosos chegaram em um carro cinza, por volta das seis horas da tarde. Um dos homens teria mandado os demais se afastarem e efetuou vários disparos contra Luciano, que chegou a ser socorrido pelos próprios parentes, levado para o hospital municipal da cidade, mas não resistiu. Ele atuava com compra e venda de automóveis usados.

Conforme relatos de testemunhas à polícia, entre os parentes da vítima havia alguns que estariam armados no momento do homicídio, chegaram a efetuar alguns disparos contra o carro do criminoso, mas não conseguiram acertar o veículo.  

Outro caso ocorreu no município de Camaçari, também na quarta-feira, 12. Alcides Alves e o filho dele Nilson, de 44 anos, foram atingidos por disparos na Rua Cravo, localidade de Parque Real Serra Verde. Eles morreram no local. Ambos eram familiares do casal Orlando Alves, de 59 anos, e Luciene Alves de Oliveira, 56, mortos por vários tiros dessa vez, na cidade de Dias d’Ávila, a 70 km de Santo Amaro e 10 km de Camaçari. O crime foi cometido por um homem que chegou de moto à residência do casal, no início da noite. Orlando e Luciene foram alvejados na cabeça e no tórax.

Em nota, a Polícia Civil informou que apura uma possível relação entre os crimes, tendo em vista o parentesco entre as vítimas. “Ainda não temos a autoria nem a motivação dos crimes ocorridos em Dias D´ Ávila, Camaçari, nem em Santo Amaro, informa por meio de nota a PC.

“As respectivas unidades da Polícia Civil estão realizando diligências e outras ações de inteligência, com o objetivo de elucidar os crimes. Algumas testemunhas já foram ouvidas e outras informações estão sendo coletadas. A linha de investigação não pode ser divulgada, para não interferir no andamento da apuração”, completou a Polícia Civil na nota.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.