Cinco civis são baleados no Alemão; 39 morreram desde domingo

Uma criança, duas senhoras, um jornalista que trabalhava na cobertura da operação e um homem foram vítimas; nesta sexta, ao menos 4 suspeitos foram mortos pelos policiais

Estadão.com.br,

26 Novembro 2010 | 20h19

RIO - Os confrontos no Complexo do Alemão deixaram pelo menos cinco civis baleados, entre eles uma criança, duas senhoras e um jornalista que trabalhava na cobertura da operação.

 

Veja também:  

linkChefe do CV e mais 500 estão no Complexo do Alemão, estima polícia

linkCabral agradece Forças Armadas

linkOito presos no Rio serão levados para Catanduvas

linkPerda de espaço motiva ataques do tráfico, dizem analistas

link'Não quero indenização. Queria minha filha', lamenta pai

especialEduardo Paes: 'não podemos é esmorecer'

blog Patrícia Villalba: E o Capitão Nascimento com isso?

mais imagens Veja fotos da onda de ataques no Rio

video Vídeo - Bope troca tiros no Complexo do Alemão

forum Presenciou algum ataque? Conte-nos como foi

 

A criança se chama Giovana Isabela da Penha Vasconcelos, de apenas 3 anos de idade, e estava dentro de casa quando levou um tiro de raspão no braço esquerdo, mas já teve alta. Outro ferido foi o fotógrafo Paulo Whitaker, da agência de notícias Reuters, que levou um tiro no braço esquerdo na altura do ombro no Morro da Grota e foi transferido para o Hospital Pasteur, no Meier. Ele foi ferido por volta das 18h na Rua Itararé, na entrada da Grota. Paulo contou aos médicos que ele mesmo tirou a bala do braço. Segundo o hospital, o ferimento não é grave, mas ele passou a noite internado por estar com pressão alta.

 

Além deles, duas senhoras - Luiza de Moraes, de 61 anos, e Eliane de Almeida Machado, de 62 anos - foram alvejadas por balas perdidas e continuavam internadas. A primeira foi atingida por estilhaços de tiros no abdômen e a segunda foi baleada na panturrilha esquerda. Um homem ainda não identificado também foi baleado no tórax no Morro da Grota e não havia sido transferido a algum hospital até as 20h.

 

Balanço. A PM do Rio informou que até o fim desta tarde, ao menos 39 pessoas haviam morrido após a onda de ataques que ocorrem no Estado desde domingo. Este número inclui tanto supostos traficantes quanto inocentes baleados durante as incursões realizadas em várias favelas. O balanço informava ainda que ao menos 197 pessoas haviam sido presas ou detidas e várias armas, drogas e materiais explosivos e inflamáveis também foram apreendidos. Por enquanto, pelo menos 97 veículos foram incendiados em ataques no Estado.

 

Só nesta sexta-feira, pelo menos quatro suspeitos foram mortos em confrontos com policiais. Uma das mortes ocorreu em São Cristóvão, outro no Morro do Juramento e o terceiro, identificado como "Thiaguinho G3', em Inhaúma.

 

Segundo o balanço, dois suspeitos foram detidos em Mesquita, onde foram apreendidos uma pistola e um revólver. Em São Cristóvão, oito coquetéis molotov, uma garrafa de gasolina e um revólver 38 foram apreendidos. Um foi preso. Já no Morro do Juramento, uma pistola 380 foi encontrada.

 

Nesta sexta dez veículos foram incendiados - seis carros, três ônibus e um caminhão.

 

 

(Rodrigo Burgarelli, Gabriela Moreira, Ítalo Reis, Solange Spigliatti e Pedro da Rocha)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.