XANDO PEREIRA/AGÊNCIA ATARDE
XANDO PEREIRA/AGÊNCIA ATARDE

Cinco corpos de vítimas do naufrágio chegam ao IML de Salvador

Outros nove foram encaminhados para a cidade de Santo Antonio de Jesus, na região metropolitana de Salvador

Helena Frazão, Especial para o Estado

24 Agosto 2017 | 15h11
Atualizado 24 Agosto 2017 | 16h08

SALVADOR - Cinco corpos do naufrágio ocorrido na manhã desta quinta-feira, 24, na Baía de Todos os Santos, travessia entre Salvador e a Ilha de Itaparica, que deixou pelos menos 18 mortos, já se encontram no Instituto Médico Legal (IML) Nina Rodrigues, na capital baiana, para serem submetidos a necropsia e identificação. Outros nove foram encaminhados para a cidade de Santo Antonio de Jesus, na região metropolitana de Salvador.

Familiares das vítimas ainda não chegaram ao instituto. Técnicos do IML pedem que, ao se encaminharem para o local, parentes levem documentos com foto ou certidões de nascimento. A previsão é de que as demais vítimas também sejam levadas para o Nina Rodrigues.  

Segundo o comandante Flávio Almeida, do 2º Distrito Naval, 123 pessoas estavam na embarcação. A Marinha confirmou a morte de 22 pessoas, mas, no início da tarde desta quinta, revisou o número para 18. Entre as mortes, está a de um bebê com cerca de um ano, que foi resgatado com vida e morreu na ambulância duas horas após de tentativas de reanimação

Até as 12h45, 89 pessoas foram resgatadas e atendidas em hospitais e unidades de saúde da região, de acordo com a Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab). Não há informações sobre seus estados de saúde. 

De acordo com a Sesab, dos resgatados, 70 estão na Unidade de Pronto Atendimento (UPA), no município de Vera Cruz, 15 estão no Hospital Municipal de Itaparica, em Itaparica, dois estão no Hospital do Subúrbio, em Salvador, e dois estão no Hospital Geral do Estado (HGE), também na capital baiana.

O governador da Bahia, Rui Costa (PT), decretou luto de três. Foi o segundo acidente hidroviário no Brasil em pouco mais de 24 horas. Nesta quarta-feira, 23, um barco naufragou em Porto de Moz, no Pará, deixando 21 mortos.

O presidente da República Michel Temer lamentou os dois acidentes de barco e cobrou apuração das causas. Temer afirmou ainda ter colocado à disposição a estrutura federal na busca de sobreviventes e no apoio aos familiares.

 

Mais conteúdo sobre:
Naufrágio

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.