Cinco galpões são implodidos para continuidade de PAC no Rio

No local dos prédios, no Complexo do Alemão, serão construídas casas, uma escola e um centro da juventude

Agência Brasil,

17 de dezembro de 2008 | 14h47

Cinco galpões da antiga fábrica de lingerie Poesi, na Estrada do Itararé, em Ramos, subúrbio do Rio foram implodidos nesta quarta-feira, 17, para a implantação das obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Um Centro de Referência da Juventude, uma escola de ensino médio e 240 casas serão construídas no espaço de cerca de 55 mil metros quadrados. Essa etapa é considerada umas das mais importantes do PAC no Complexo do Alemão.   A implosão dos galpões modificou a rotina de cerca de 5 mil pessoas que moram num raio de 200 metros da antiga fábrica. Eles foram deslocados no início da manhã para a fábrica da Helio Gás, onde ficarão até o término do processo, previsto para o final da tarde. Lá, eles poderão participar de diversas atividades destinadas a promover a cidadania, como tirar certidões de nascimento e de casamento e segunda via de documentos como carteira de identidade, título de eleitor e carteira de trabalho.   De acordo com o presidente Empresa de Obras Públicas do Estado do Rio (Emop), Ícaro Moreno, outra mudança na região é a construção de um teleférico para transporte em massa integrado ao sistema de trens. "O teleférico é uma das obras mais importantes, porque será implantado como transporte de massa urbano atendendo a 30 mil pessoas numa comunidade e estará integrado ao sistema convencional de trens."   Novas casas vão abrigar as pessoas que moravam onde o teleférico e os cabos de sustentação serão construídos. Ícaro Moreno disse ainda que todas as obras devem ficar prontas em setembro de 2010.

Tudo o que sabemos sobre:
PACComplexo do AlemãoRio de Janeiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.