Cinco mortos em acidente com helicóptero da Petrobras

Cinco pessoas morreram hoje pela manhã em um acidente com um helicóptero da Petrobras no Campo de Marlim, na Bacia de Campos, no litoral norte do Rio do Janeiro. A aeronave de prefixo PT YVM, da empresa BHS, que fazia transporte de funcionários caiu ao pousar no heliponto do navio Toisa Mariner, especializado em operações de mergulho. Segundo informações não oficiais, o helicóptero bateu no mastro do navio e afundou em alto mar, a cerca de 60 quilômetros da costa. Restos da aeronave foram encontrados pela equipe de busca da estatal a 800 metros de profundidade, próximo à plataforma P-33. Além dos dois tripulantes da aeronave, o helicóptero (com capacidade para 14 pessoas) também transportava dois funcionários terceirizados e um empregado da estatal, que estavam em serviço. O Sindicato dos Petroleiros informou que os três passageiros já foram identificados: o engenheiro César Marques de Oliveira, de 35 anos e os funcionários da prestadora de serviços Stoult Comex, Juliano Alves da Silva, do Rio de Janeiro, e o estrangeiro Kenneth, cuja nacionalidade e sobrenome ainda são ignorados. Segundo o sindicato, este seria o primeiro trabalho de Juliano em uma plataforma da estatal. Informações ainda não confirmadas pela Petrobras indicam que a aeronave havia apanhado César na plataforma P-40 para deixá-lo no navio.Além dos passageiros também faleceram o piloto Cláudio Belloni e o co-piloto Marcos Miranda de Souza. A diretoria da Petrobras determinou assistência às famílias das vítimas e já recebeu autorização da Aeronáutica e da Marinha para resgatar os corpos. Segundo a estatal, a Agência Nacional de Petróleo (ANP), ao Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Renováveis (IBAMA), Polícia Federal e a Defesa Civil já foram comunicados do acidente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.